27 de março de 2012

O Passarinho é Grande pra Gaiola?

Uma dúvida que pairava sobre minha cabeça me incomodava muito, já que por enquanto, não estou trancado, apesar da minha mulher já ter concordado em comprarmos uma gaiolinha de castidade. Depois que ela me destrancar, me fizer um "tease and denial" (provocação intensa do prazer sexual seguida de negação do orgasmo) e quiser me trancar de novo sem me deixar gozar, como ela vai me trancar de novo com o meu pênis pulsando de tesão, duro e muito maior que a capacidade da gaiolinha?

Essa dúvida pode ser a de mais pessoas que pretendem entrar nesse delicioso mundo, portanto, um e-mail de sarah jameson me esclareceu tudo:

1) Ela prende as mãos do marido na cama com aquelas algemas eróticas (de sex-shop) pra evitar que ele se toque escondido, e espera um tempo até amolecer pra trancar. Por vezes, ele já caiu no sono quando ela consegue trancá-lo. (Deve ser maravilhoso acordar nessa situação...)

2) Caso não dê certo, o sono não vier ou o teimoso não quiser diminuir de tamanho devido ao tesão, uma ducha de água bem fria resolve o problema.

Simples assim, mas ainda não tinha pensado nessas soluções.

espero ter ajudado mais uma vez!

William

23 de março de 2012

Refletindo sobre Castidade Masculina




UMA REFLEXÃO SOBRE A CASTIDADE MASCULINA 


NA FASE INICIAL (QUANDO O HOMEM REVELA SUA FANTASIA)



               (Este texto é tradução e adaptação de um trecho do livro "How to Drive Your Man Insane With Desire" de Sarah Jameson.)

A fantasia da castidade masculina (que em quase 100% dos casos parte do homem), quando revelada por ele à sua mulher, normalmente causa a ela um certo choque. A mulher se pergunta surpresa: Como pode ele querer que eu negue a ele justamente aquilo que lhe dá o prazer mais intenso?
        De fato, depois de poucos dias trancados, ele vai sentir muita, mais muita vontade de ter o alívio do orgasmo, provavelmente vai sentir um ardor na região pélvica, pela frustração, um tesão que chega a fazer seus testículos "doerem" de desejo. Isso o leva a se perguntar: "Mas por que raios eu fui pedir isso a ela? Não estou mais aguentando!". Ora, mas essa é a essência da castidade, não é mesmo? Não foi isso que ele pediu? Não é isso que o realiza sexualmente? Ele pode até declarar que não quer mais, contudo, no fundo, não quer voltar à situação anterior, na qual a castidade estava apenas no mundo dos sonhos. Agora que ele recebeu de você este presente, dificilmente vai querer abrir mão de viver a fantasia na realidade.
        Só que há um detalhe importante em tudo isso: antes de revelar a fantasia à sua parceira, o homem passou muito tempo pensando na castidade e analisando todos os seus detalhes. Então, pode se aproveitar que a mulher sabe menos que ele em relação ao assunto, para tentar manipulá-la a libertá-lo toda vez que ele pedir, e sendo assim a castidade perde o sentido. Parte-se do princípio de que se a mulher vai ter o controle dos orgasmos do seu parceiro (porque ele mesmo pediu), o intervalo entre um orgasmo e outro deve ser consideravelmente maior do que o normal. Então, não cabe o homem ganhar o que quer, porém se aproveitar do conhecimento superficial da parceira e ditar as regras de quando será destrancado. Eu digo isso porque a castidade masculina é algo muito novo para a mulher, é contra-intuitivo, e pode dar trabalho não só para entendê-la como também para praticá-la.
        Por isso, eu acho que quando uma mulher ama seu parceiro e resolve dar a ele a castidade que pediu, é essencial que ela seja firme quanto a esse controle. Sempre deve ser mantido muito diálogo durante a castidade, mas a mulher deve se impôr (sensualmente) sobre o desejo sexual do parceiro, já que quem detém o controle é ELA!
        A esperteza do parceiro acontece mais ou menos assim:
        - O homem diz: "Eu quero te dar o controle sobre os meus orgasmos."
        - Mas na verdade ele quis dizer: "Eu quero que você tenha o controle sobre os meus orgasmos, mas que me deixe gozar a cada quatro dias.
        Dessa forma, ele pretende se excitar com a idéia de estar sob o controle sexual da mulher, mas ao mesmo tempo vai querer dar vazão ao orgasmo num período curto, que não permite que o jogo fique realmente interessante para a mulher, e assim, só ele se favorece disso. Ou seja, é um falso controle feminino, uma falsa castidade masculina.
        Por esta razão, se é a mulher quem vai cuidar da castidade do parceiro e vai ter a função de controlar os orgasmos, eu acho que é a mulher é quem deve ter uma parte maior para estabelecer as regras. Não se trata de dominação feminina ou sadomasoquismo (que são outras práticas fetichistas que podem ou não ter a castidade masculina agregadas a elas). Mas sim, trata-se de uma negociação justa:
        "Ok, se você quer que eu tenha o trabalho de entender e mudar nossa rotina sexual para atender a essa fantasia que é tão estranha pra mim... eu aceito com uma condição: você não vai poder ter orgasmos por pelo menos sessenta dias!" (ou um período de dias que você julgue que ele pode ficar. Um bom começo é perguntar o quanto é o máximo que ele acha que aguenta, e aí você dobra o valor. Pra início, fica razoável, mas o ideal é ir aumentando aos poucos, até atingir um período bem longo que traga todos os benefícios possíveis ao casal e principalmente à mulher.)  
          E você homem, não seja tão fraco!
        É a SUA fantasia, então contenha-se e seja grato por ela estar te concedendo esse presente tão incomum que você desejou por tanto tempo! Há centenas de homens por aí cujas mulheres jamais pensariam em cedê-los essa fantasia, por uma razão ou outra, então se você conseguiu convencer a sua a ir tão longe nas fantasias sexuais, considere-se um sortudo e submeta-se ao controle sexual da mulher, sem querer manipulá-la!
        Dessa forma, a castidade trará um ótimo retorno a ambos. E lembre-se: nunca revele a ele o dia em que vai deixá-lo gozar! Você pode até dizer quando vai destrancá-lo, mas não necessariamente ele gozará. O principal fundamento da castidade (que é o que mais excita o homem) é o homem nunca saber o dia em que a mulher pretende deixá-lo gozar.



Gostaram do texto? Por favor comentem!

        E que todas as mulheres que detêm as chaves dos cadeados de seus parceiros, tenham muitos e maravilhosos orgasmos enquanto os fazem babar de tesão e frustação, trancados em suas anti-viris gaiolinhas!!!

         William.