3 de outubro de 2013

A Saga de Beto - Parte 4

 Olá, pessoal! Mais uma vez peço desculpas por deixar a todos esperando tanto tempo. Isso é por motivo do meu trabalho, mas a partir de agora, quando ver que vou ficar um bom tempo sem postar vou avisar antes.

Pra me redimir, preparei um longo texto ilustrado da continuação da saga de Beto. 

Desta vez, SEM ESCOLHAS DIFÍCEIS no final. A respeito do resultado da votação, vou atender a todos os pedidos, nessa ou nas próximas postagens.

Um texto bem direcionado para quando são as mulheres que descobrem a prática e querem compartilhar com seu parceiro. Espero que gostem. William.



AVISO: HISTÓRIA 100% FICTÍCIA. QUALQUER HOMÔNIMO OU SEMELHANÇA COM A REALIDADE SERÁ MERA COINCIDÊNCIA.


PARTE 4 - CRIS CONHECE O KEYHOLDER SPA




                Cris então decidiu se inscrever no curso. Para isso, clicou no link do básico sobre castidade, que é obrigatório, e optou pelo estágio 2 como adicional. Consigo mesma, pensou:
                 - Já ouvi muito falar que o homem sente prazer no ânus, e isso eu acho que consigo dobrar o Beto. Mas eu, casada com ele, ter relações com outros homens, ele nunca vai aceitar, ele é ciumento demais. Não sei se eu ia querer também. Melhor só o básico e o 2 mesmo.
                 Depois que ela clica na inscrição, o site emite um boleto pra ela pagar na lotérica. Ela saca o valor da poupança e vai na boca do caixa. Afinal ela não quer levantar suspeitas com extrato de conta constando pagamento de um valor tão alto. Horas depois, Cris manda um e-mail com o comprovante e recebe a resposta:




          

            Ela mal podia esperar, a empolgação era demais, e a esperança de melhorar o casamento aumentava.
            Na quinta, ela chegou no tão esperado Keyholder Spa e vislumbrou uma fachada muito bonita, imaginando a ótima estadia que teria ali:



                 Cris foi muito bem recebida pela recepcionista, por sinal uma mulher belíssima, loira, num esplêndido corset preto:




             - Oi, seja bem vinda Cris. Meu nome é Tábata. Eu vou te levar até o seu quarto pra você se preparar pro nosso tour.
             Ela ajudou com a mala e levou Cris até o quarto onde ia ficar.
            Cris tomou um banho, e vestiu um biquini preto bem cavado, que levou. Por cima, vestiu um roupão de seda vermelho encarnado, que o Spa disponibiliza para as alunas usarem durante todo o curso. Daí, conheceu as 8 colegas que iam fazer o curso com ela, e foram conhecer as instalações do Spa com uma guia.
Num intervalo para um cafezinho, Cris tentou quebrar o gelo e puxou conversa com as colegas:
            - Será que esse curso é bom mesmo heim?
            - Não sei, mas vim pra cá pra me vingar do salafrário do meu noivo. - Disse uma delas, moreninha, devia ter uns trinta anos.
            - E o que ele fez?
            - Descobri que ele me traiu várias vezes com a vizinha! E eu sempre fui fiel a ele. Agora ele ta na minha mão. Vou fazer o curso, exigir que ele aceite essa tal de castidade e depois vai virar meu corninho assumido e manso!
            Aquilo chocou Cris. Mas lá em seu íntimo ela sentiu algo estranho quando ouviu esse lance de fazer o marido de corninho manso. Isso porque, quando terminaram de fazer o tour pelas áreas do spa, as novas alunas se depararam com um salão grande, com diversas camas dessas de massagem, e exatamente 9 homens, um pra cada aluna, todos sem camisa e usando tangas bem curtas e largas na frente:
            - Meu Deus, que homens lindos são esses!!? Cochichou uma pra todas ouvirem.
Então Adriana, a guia das alunas, disse:
            - Podem cada uma deitar em uma cama de massagem que nossos meninos vão fazer vocês relaxarem. Aproveitem.
            Cris nem podia acreditar. Tirou o roupão e deitou em uma das camas, e um cara que ela achou lindo chegou perto dela e disse:
            - Oi, princesa, eu sou o Charles. Prazer.
            - Prazer, Cris.
            - Prazer. Muito bem, vai querer meia ou completa?
            - Como assim? - Perguntou ela, meio sem jeito.
            - Meia, é só da nuca até o quadril. Completa, é tudo, até a ponta dos pés.
            Cris não pensou duas vezes:
            - Completa!
            - Então pode relaxar e curtir que você vai gostar muito.
            Charles passou creme de massagem nas mãos e começou a massagear a nuca e os ombros de Cris. Nesse primeiro toque, já ficou toda arrepiada, e sem querer já começava a ficar um pouco excitada, mas não queria admitir para si mesma. Estava a muito tempo sem sexo, mas sua consciência estava doendo, sempre quis se manter fiel ao Beto, mas ao mesmo tempo queria curtir o momento. Não é sempre que essas oportunidades surgem. Fechou os olhos e deixou rolar. O massagista desceu pras costas e massageou bastante, das laterais pro meio, descendo aos poucos. Até que chegou ao quadril. Cris começava a sentir que ia perder o controle, pois aquelas mãos másculas acariciando sua cintura já estavam quase a fazendo gemer baixinho. Sua respiração começou a ficar mais forte. Fora a expectativa de quando ele começaria a massagear suas nádegas, que estavam bem expostas pela calcinha cavada do biquini. Enquanto ainda estava na cintura, Charles comentou:
            -  Nossa, você deve malhar né?
            - Por quê?
            - Porque você é um desenho! São poucas as alunas que vem pro curso que são assim.
            - Ai, obrigada. Eu não malho não, só não fico comendo besteira. - Diz ela tentando disfarçar que estava perdendo a linha.



Então, sem cerimônia, ele começa a massagear a bunda de Cris, apalpando com vontade a fartura das nádegas firmes e suculentas, deixando de vez em quando, (malandramente) os dedos passarem pelas dobras entre as nádegas e as coxas. Charles sentia a maciez de Cris, e o quanto era gostosa. Aproveitava pra tirar uma casquinha também, claro. A essa altura, Cris já estava perdendo os sentidos e muito excitada. Mas fazia de tudo pra disfarçar. Prendia a respiração pra não deixá-lo perceber. Mas ele sabia, era experiente. Então, passou para a parte de trás das coxas. Ficou um bom tempo massageando-as, depois desceu pras panturrilhas e para os pés. Aí, ela não aguentou e, sem conseguir segurar, soltou um suspiro forte, daqueles vindos de uma grande sensação de prazer. Charles não deixou por menos:
            - Hum, estou vendo que você gosta bem de ser tocada nos pés. Isso é típico das mulheres que procuram o nosso curso. Vou te explicar: normalmente a mulher que gosta de ser especialmente acariciada nos pés, é porque gosta muito de ser servida e paparicada pelo seu homem. Você é assim?
            Cris, toda sem jeito, responde:
            - Sim...é...quer dizer, hum... acho que sim, não sei. Pode ser... sei lá.
            - Muito bem meninas, já estão bem relaxadas, vamos levantando que vai começar nossa primeira aula. Levantem-se das camas e vistam seus roupões! - Interrompe Adriana, a guia.
            - Aaaaaahhhhh, agora que tava ficando maravilhoso?! - Exclama uma das colegas de Cris. As outras riem.
            - É, não podemos ficar mais? - Uma outra aluna pergunta.
            - Não, eu sei que vocês adoraram nossos meninos, sei que eles são muito bons no que fazem, mas não podemos atrasar o cronograma.
            - E depois, não tem mais?
            - Claro, vocês terão intervalos durante as aulas, e se quiserem voltar aqui pra mais massagens, poderão.
            Todas levantaram das camas, e comentavam umas com as outras, nos corredores, o quanto tinham ficado excitadas com as massagens. Diziam como aqueles homens sabiam quando e como tocar. A guia escutava e só dava um sorrisinho, como quem demonstra estar acostumada com aquela reação de outras alunas que já passaram por ali.
            Adriana as levou para uma sala em cuja porta estava escrito: "Estágio 1 - Castidade Masculina". Entraram e viram uma espécie de mini-auditório com umas 15 poltronas muito fofas e confortáveis. Na parede à frente tinha uma tela de projeção e uma caixa pequena de madeira muito bonita, toda recoberta de um tecido vermelho aveludado. Elas foram se sentando nas poltronas mais à frente, e Adriana avisou:
            - Bem, meninas, fiquem à vontade que em uns 5 minutos a nossa terapeuta Andressa vai chegar.
            Cris estava muito curiosa pra saber o que seria aquilo tudo, mas não conseguia esquecer o toque das mãos de Charles em sua bunda, e nos pés. Em poucos minutos entra uma mulher na sala. Vestindo um vestido látex preto, super justo no corpo maravilhoso que tinha. Era uma mulher loira, extremamente bonita e sensual, e muito gostosa. Ela dá alguns passos e se senta em uma cadeira bem abaixo da tela de projeção.






                 - Oi, meninas! Meu nome é Andressa. Sou terapeuta sexual e a coordenadora do curso.
            As alunas ficaram impressionadas com a beleza de Andressa. Por uns dois minutos ela perguntou o nome de cada aluna, e se eram casadas ou tinham namorado, ou se eram solteiras, etc. Quebrou o gelo inicial e quando percebeu que as alunas já estavam mais descontraídas, ela começou a projetar imagens na tela e continuou:
            - Eu sei, e é comum a curiosidade de vocês a respeito do assunto que nós vamos tratar aqui. Mas antes de ir direto ao assunto, vamos abordar a motivação que as trouxe aqui. Vou descrever: Vocês de alguma forma, perceberam que o relacionamento de vocês com seus parceiros,  como um todo, vem esfriando e ficando desgastado ao longo dos anos. Aquele fervor, aquela paixão que havia no início do namoro, aquela vontade de ficar o tempo todo juntinho, a atenção que eles davam pra vocês antes, vem minguando e sendo substituídas por indiferença, acomodação e muitas vezes, destratos. Estou certa?




             - Sim, é isso mesmo. - Todas iam respondendo.
            - Pois bem, quero dizer que isso é absolutamente natural! Não há nada de estranho nisso. Por que? Ora, pensem comigo: quando ganhávamos uma boneca nova na infância. Nos primeiros dias havia um encantamento, um impulso quase violento, que nos fazia acordar mais cedo, e ir correndo pro quarto. Lá, pegávamos a boneca pra brincar por minutos ou horas, e então enjoávamos e íamos fazer outra coisa. Conforme os dias iam passando, a recompensa psicológica ou física em tocar e brincar com aquele brinquedo já não era mais a mesma. Com o tempo, o prazer da novidade, da descoberta iam murchando, até que largávamos a boneca esquecida num canto tão logo ganhávamos outra nova. Isso acontecia ainda mais evidente nos meninos, com tantos carrinhos, bonequinhos, bola, estilingue, etc. Essa questão de impulso, rotina e recompensa é o que baseia o que chamamos de hábito. 1) Surge um impulso: vontade de brincar. 2) Fazemos uma rotina: vamos pro quarto, pegamos a boneca, brincamos. 3) Temos uma recompensa ou mais: o cheiro da boneca nova, as cores, a textura, a sensação de simular a maternidade, de cuidado com a "filhinha", etc. entenderam?
            - Sim, interrompeu Cris. Mas o que tem isso a ver com o assunto?
            - Em relação ao sexo, os homens são bem diferentes de nós. Eles não relacionam o sexo com a afetividade como nós fazemos. Para eles é um mero hábito. Como já disse, um hábito é composto por um ciclo de três etapas: Impulso, Rotina e Recompensa. 1) Sentem um impulso sexual intenso, normalmente diário, constante, e bem mais forte que nós mulheres. 2) Fazem a rotina, ou seja, transam ou se masturbam. 3) A rotina é feita até a obtenção da recompensa: o ORGASMO! Isso mesmo, o foco da recompensa masculina não é a mulher, mas o seu próprio orgasmo! E quando obtém o que querem, não precisam mais se esforçar com a rotina por um bom tempo, e o impulso diminui muito, e a recompensa fica distante, adiada. E vem o típico sono que os fazem se virar para o lado e desmaiar até o dia seguinte. E já tendo o que querem, não precisam se esforçar mais em nos galantear ou tratar bem, porque se não fazemos sexo, eles procuram outras mulheres ou se masturbam escondidos.



          - Será que o meu marido se masturba!!? Pergunta Isabel, umas das alunas, completamente chocada, arrancando risadas das outras.
            - Se ele é um homem saudável e você não faz sexo com ele quase todo dia, é quase certo que sim. Mas é difícil eles admitirem isso, inclusive entre eles, quando estão com amigos. Normalmente sentem vergonha e culpa. Esse hábito é muito comum, e ganha disparado do adultério, quanto à causa para a preguiça em nos conquistar e paparicar, como no início do namoro.
            - Eu percebo que meu noivo às vezes fica mais tempo que o normal no banho. Pode ser um sinal? - Pergunta Jeovana, outra aluna.
            - Sim. É bem provável. E esse hábito rouba toda a energia sexual que o homem deveria, na verdade, guardar para nós! É aí que entra a Castidade Maculina!
            - O que é isso exatamente? - Pergunta Bianca, outra aluna.
            - É um jogo sexual, um fetiche, no qual o homem entrega totalmente seu hábito sexual nas mãos de sua mulher: o impulso, a rotina e a recompensa. Tudo. Claro que vocês não vão conseguir obrigá-los a isso. Tudo é bem gradativo. Mas vou ensinar como conquistá-los, e fazer com que desejem nunca mais que vocês devolvam o controle pra eles. E aí a imagem anterior, de egoísmo e traição silenciosa da masturbação vai se tornar essa:
 






            Andressa continua:
            - Não sei se vocês concordam comigo, mas eu sou até um pouco feminista quando o assunto é homem. Pra mim a felicidade e o prazer da mulher devem ser a prioridade deles, não é meninas???
            - É!! Todas responderam juntas.
            - Afinal, nós que cuidamos deles, merecemos todo paparico possível. Para isso, temos que proibir, impedir mesmo que eles tenham orgasmos a hora que querem e o quanto querem, e gastem toda essa energia com eles mesmos ou pior, com outra. A teoria é: se eles ficarem constantemente com tesão, sem poder se aliviar, ficarão muito mais dispostos, amorosos e atenciosos conosco, pois só nós poderemos permitir a abertura da "represa" pra liberar toda a "água" acumulada. Só nós teremos a chave que os liberta do nosso controle para que possam ter a recompensa que tanto desejam. Eles estarão em nossas mãos. Nós criamos o impulso, estabelecemos a rotina e decidimos COMO e QUANDO eles terão a recompensa. E podem acreditar, isso será prazeroso demais pra eles também, e muito mais divertido e prazeroso para nós mulheres, claro.
            - Mas como vou ter certeza que ele não vai se masturbar, ou pior, me trair?
            - Infelizmente, certeza você nunca terá, a não ser que impeça qualquer esboço de ereção, ou tentativa dele em se tocar. Para isso, você deve trancar o pênis dele usando um dos modernos, confortáveis, e seguros CINTOS DE CASTIDADE MASCULINOS:




               Na hora que Andressa falou isso, e projetou a  imagem na tela, as reações das alunas foram bem variadas. Uma começou a rir, outras ficaram com a boca aberta atônitas, enquanto Cris duvidou muito que Beto aceitasse usar aquilo. Então perguntou:
            - Mas Andressa, como vamos aparecer em casa com um treco desses e dizer pros nossos maridos que vamos trancar o pinto deles nessa gaiola de plástico, e só vamos abrir quando quisermos?
Andressa continua:
            - Calma, meninas. Tudo é um processo. Não vai ser da noite para o dia. Primeiro, vem a conquista do homem. Para convencê-lo, mais tarde, a aceitar entrar no jogo. Primeiro, escolham comprem um cinto de castidade masculino. No próximo tempo, eu vou falar só deles, dos tipos, e vocês vão saber onde comprar. Depois de comprado, guardem bem escondido e comecem a conquista do hábito sexual masculino.
            - No início, vocês devem passar a se arrumar com roupas mais ousadas no dia a dia.  Deixem que eles percebam e elogiem, e então comecem a aumentar a frequencia sexual com o parceiro, agradando-o ao máximo. Se ele perguntar o motivo de você estar diferente, só responda que você tem uma surpresa, deixe-o curioso, mas não revele o que é, ainda. Diga que o curso que fizeram no nosso Spa ensinou muita coisa pra vocês. Aticem a curiosidade e reforcem que o curso que vocês fizeram vai trazer muito benefício pra ele na cama. É interessante no sexo, vocês passarem a o acostumar a ficar sempre por cima dele, pra ter mais controle na hora de negar o orgasmo que ele tanto quer.
            - Depois, deve vir a preparação do homem, com vocês assumindo mais o controle na cama, e retardando ao máximo o orgasmo dele, e vendo como ele reage. Observem um ótimo exemplo de provocar:



              - Deixem eles fazerem bastante isso, mas devagar e sem penetrar. Existem outras técnicas, de provocar e negar, mas eu ensino depois. Com isso, mais cedo ou mais tarde, ele vai admitir que está gostando que você o provoque desse jeito, e que  fique adiando o orgasmo ao máximo. Faça isso e deixe-o gozar, mas só depois de provocá-lo bastante.
            - Numa segunda etapa, depois que fizer dessa forma umas 4 ou 5 noites, faça de novo, mas provoque-o muito e na hora que ele estiver quase lá, pare tudo, diga que não está se sentindo bem, e deite-se. Ele vai ficar louco, com certeza. Mas diga pra ele que promete que, de manhã, ou na noite seguinte, você vai continuar. Ele pode até ficar chateado, mas console-o dizendo que você adora deixá-lo assim, louco de desejo por você a noite toda. De preferência com aquela voz de mamãe mimando bebê. Se ele tem o costume de se masturbar, provavelmente numa dessas, ele vai no banheiro pra se aliviar sozinho. Essa é a hora do próximo passo: A revelação.
            -  Deixe a gaiolinha escondida próxima da cama, e tente flagrar o trapaceiro se masturbando. Ou então espere ele voltar pro quarto e ponha ele contra a parede, mas não em tom de briga, e sim de excitação. Digam mais ou menos assim: "Ah, então o safadinho não aguentou e se aliviou sozinho né? Vem cá que eu vou te provocar mais então." ou algo parecido, e comece a provocá-lo de novo até ele voltar ao ponto de bala. E então quando perceber que ele já está bem excitado e acostumado ao joguinho de você provocar e negar, continue o masturbando e dizendo no ouvido dele: "Eu sei que você gosta que eu te controle assim desse jeito não gosta?" Ele inevitavelmente vai responder que sim. Então continue masturbando-o devagar e diga: "E se eu dissesse que quero trancar esse seu pauzão numa gaiolinha pra te soltar só quando eu quiser?" Daí ele não vai entender muito bem. Continue: "Eu não estou nada feliz com essa coisa de você ficar se masturbando sozinho e não deixando nada sobrar pra mim. Muito feio isso, viu? Menino bobo! Quer dizer que você prefere se masturbar do que transar comigo? Sua mão é melhor que minha bucetinha é?" Qual vai ser a resposta dele?
            - NÃO!!! - respondem as alunas já todas empolgadas com a técnica e rindo bastante.
            - Então, façam um breve discurso, dizendo que vocês aprenderam no Spa a como ajudar o marido a parar de se masturbar e ter muito mais sexo com sua mulher. Perguntem se ele quer saber como é isso. Perguntem se ele está disposto a fazer qualquer qualquer coisa para ter mais sexo e intimidade com a mulher deles. Ele vai responder que?
            - SIM!!
            - Então, vocês levantam, pegam o cinto de castidade e dizem: "Então, você está disposto a fazer qualquer coisa por mim, né? Então eu quero que a gente experimente isto aqui. É um brinquedinho muito excitante." 




            - Depois de mostrar, continue: "É uma gaiolinha do sexo, pra gente jogar um  joguinho que se chama "castidade masculina". Eu transo muito com você e te provoco bastante de noite. Aí você não goza. Depois, tranco o seu bilau nessa gaiolinha até de manhã. Você não vai conseguir se masturbar e vai se guardar pronto pra mim a noite toda, excitado assim, igual você tá agora. Sem poder fugir pro banheiro, e fazer coisa feia, igual você fez agora a pouco. De manhã, eu te solto e você me come gostoso, até gozar. Anda, me deixa trancar você..."
            - Se vocês fizerem isso tudo que eu ensinei, com muita paciência, e com muita intuição para saber qual o momento certo de quando ele vai estar pronto pra aceitar ser trancado, aí é garantido! Vocês o terão sob o domínio das chaves. Quando passar a noite e você o soltar de manhã, depois do sexo, perguntem se ele gostou e se quer brincar mais vezes disso. Apelem pra chantagem emocional se for necessário, digam que vão ficar muito tristes e decepcionadas se ele não quiser, pois vai voltar a se masturbar sozinho e de forma egoísta, e que isso magoa vocês. Digam que esse fetiche é o motivo de vocês estarem tão excitadas ultimamente, e se eles não quiserem jogar mais, o fogo atual pode voltar a esfriar. Digam que gastaram dinheiro à toa com o curso e que ele está desvalorizando todo o esforço de vocês em agradá-los. Tentem convencê-los de todas as formas que acharem úteis. Depois que ele aceitar, vocês vão amadurecer a prática ao longo dos dias até que, de joguinho, a castidade passe a ser o estilo de vida sexual de vocês. E ele aceitará ficar trancado pelo tempo que vocês estipularem. Dias, semanas e até meses. Ele começará a verter de seu pênis um liquido seminal fino e transparente, como amostra do quanto está excitado.

 



               -  Mas se eu o trancar com isso, como eu farei pra ter sexo? Pergunta Bianca.
            - Essa é uma pergunta inevitável, mas tem resposta: Castidade masculina não é ausência de sexo. Muito pelo contrário, pode aumentar em muito a qualidade, a intensidade, e a quantidade de sexo do casal. Primeiro porque os homens ficam totalmente dispostos, o tempo todo, a nos satisfazer. Segundo, porque a sensação do poder que esse controle nos dá, naturalmente acaba aumentando nossa libido. Outro detalhe importantíssimo: castidade masculina é controle do orgasmo do HOMEM, não da mulher. Vocês podem e devem gozar quantas vezes quiserem! Inclusive esse deve ser o principal objetivo deles: lhes dar prazer. Com a castidade masculina, vocês vão ensiná-los a colocar o prazer deles abaixo do de vocês, e eles vão amar fazer isso. Vocês vão ensiná-los que a recompensa do hábito deles passou a ser o orgasmo da mulher que eles amam. Eles ficam com o impulso triplicado, a rotina focada só em vocês, e a recompensa (orgasmo), eles só desfrutarão quando vocês quiserem recompensá-los. E isso vira um ciclo delicioso pra eles. No fundo os homens adoram ser controlados por uma mulher. Eles na verdade precisam disso.
            - Mas como transar tanto assim, vou ter que soltá-lo sempre que eu quiser sexo então! - Retruca Jeovana.
            - Quem disse que precisam sempre do pênis dele pra ter prazer? Você podem transar sem necessariamente destrancá-los. E isso os deixa completamente loucos de desejo. Observem a tela seguinte:
 






                     - SEXO ORAL!!!  Com o tesão retido que eles vão estar, aprenderão com facilidade como proporcionar orgasmos múltiplos com a língua. Conscientes de que vocês não vão soltá-los tão cedo, não terão pressa pra parar de lamber e chupar vocês por horas se vocês quiserem. 


               - Ah, mas eu adoro a penetração!

                - Eu também, Andressa. Gosto da língua dele, mas vou ficar só nisso?

               - Bem, ele pode usar os dedos também. E pode usar consolos. Observem esse que vem agora, é muito interessante. Chama-se consolo de boca e vende em muitas sex shops:


 



                           - Imaginem o tesão dele ao estar tendo essa visão espetacular da mulher amada sendo penetrada bem perto dos olhos dele. Ele vai adorar fazer isso. Imaginem o tesão dele ao vocês gozarem bem perto assim do rosto dele. Observem essa que deixa ainda mais frustrado e excitado:





            - Esse aí é o caso de vestí-lo com uma cinta-pica, conhecida também como strapon. Ele vai ter a sensação de que está fudendo a mulher, vai sentir os toques, ouvir os ruídos da penetração, sentir os cheiros do sexo, mas totalmente frustrado e sem usar seu brinquedo "de verdade".
            Fora que, dependendo de como é o cinto de castidade dá pra gozar usando o pinto dele assim mesmo, massageando o clitóris. Observem:
 






                  - Uma outra forma, é amarrá-lo na cama e usar o pênis dele como consolo. Amarrando os braços dele na cabeceira, ele não tem a chance de se tocar pra gozar, nem agarrar você "à força" pra transar até o gozo dele. Depois de se assegurar que as mãos dele estão bem presas, destranque o pênis dele, passe uma pomada que diminui a sensibilidade, que também vende em sex shop, e vista umas três camisinhas ao mesmo tempo. Assim, a sensibilidade do pênis dele vai ficar bem reduzida e vocês podem transar bastante sem levá-lo ao gozo. Se quiserem melhorar ainda mais, comprem na sex shop uma capa peniana que reduz muito mais a sensibilidade do pênis, evitando o orgasmo do nosso menino levado. Vejam:
 



            - Mais alguma pergunta até agora?
            - Ele não vai ficar com raiva de mim por não deixá-lo gozar?
            - No fundo, todo homem controlado dessa forma passa a ter tesão por isso, e entender que ele depende de sua mulher para limitá-lo em seus impulsos do mau hábito. Isso dá muita segurança ao homem, pois ele tem o sentimento de culpa totalmente afastado, e fica muito grato à sua mulher por mantê-lo afastado da tentação de se masturbar ou trair. A confiança do homem em sua mulher aumenta. Nada resiste a uma boa conversa e um "sex appeal" feminino. Minha querida, quando a castidade tomar conta dele, ele vai ficar desesperado pra gozar. Vai implorar pra você destrancá-lo e dar alívio ao tesão dele. Pode até chorar. Mas lá no fundo de seu ser, ele vai ansiar por um sonoro, sarcástico e provocante "NÃO" de sua mulher. Se ele disser que não quer mais, com todo jeitinho e domínio feminino, que você já conquistou, você será capaz de convencê-lo a continuar te obedecendo, e permanecer casto. Com amor e com jeitinho, nós mulheres temos muito poder. Só que não sabemos usar. E eu estou mostrando a vocês a forma mais fácil de exercer esse poder: restringindo o poder deles. Sejam donas das chaves de seus homens. E sejam mais felizes com eles!

                


 

      - E quanto tempo eu o deixo assim trancado antes de abrir o cadeado pra transar normalmente?      
            - Ora, querida, vocês devem conversar sobre isso, e é bom começar de forma gradativa, pra ele ir se acostumando com o aparelhinho preso no sexo dele. Mas depois de testar e se adaptar bem,  você é quem decide! Se você quer transar normalmente, de 3 em 3 dias, uma vez por semana, ou duas por mês, vai do seu ritmo. O mais importante é: o homem não tem porque gozar ou ter ereções se sua mulher não está disposta pro sexo com a mesma frequência dele. Ele será ensinado a ter alívio pleno com orgasmo só quando a dona da chave, você, achar que deve. Do contrário, ele tem que esperar e se guardar pra você, trancadinho, bonitinho na gaiolinha dele.  A rotina da castidade apresenta várias possibilidades a gosto da mulher. Observem algumas:

1) Você o deixa trancado por um longo período, mas o faz  te dar prazer usando como dedo, língua ou até consolos.
2) Você o deixa trancado por um curto período (ex: período menstrual ou TPM) em que vc não está tão a fim de sexo, e só o provoca com roupas, frases, gestos, etc. 
3) Você o liberta de vez em quando só pra provocar e transar, mas sem deixá-lo gozar, e aí tranca de novo.
4) Você o liberta normalmente e tem um sexo normal, bem gostoso até o fim.

            - Depende da Criatividade de vocês. Outra coisa importante também, é que mesmo que vocês não estejam dispostas ao sexo por alguns dias, continuem provocando sempre que possível, com palavras, gestos, roupas curtas, mensagens no celular etc. pra mantê-los sempre provocados. Não basta trancá-los e esquecer. Temos que fazer o esforço de manter o erotismo sempre que possível. Essa é a parte que cabe à mulher.
            Depois de gastar mais uns 15 minutos ensinando as meninas mais detalhes das práticas, da higiene e da segurança da castidade, Andressa encerra o primeiro período de aula:

                 - Resumindo: vantagens pra vocês: 

1) Terão o homem sempre disposto a satisfazê-las e realizar todas as fantasias sexuais que vocês tiverem. Serão mais românticos e muito mais atenciosos.
2) Muito dificilmente serão traídas, pois o homem que tem uma mulher assim tão erótica não precisa de outra, e ele vai estar bem trancado e sob controle, completamente apaixonado, de forma duradoura.
3) Ele terá prazer em fazer coisas que antes nunca esteve disposto, como ajudar nas tarefas domésticas, ajudá-la a se arrumar, etc.

            - Vantagens pra eles:

1) Vão se libertar do vício da masturbação e da culpa. Tornando-os mais felizes e realizados com sua mulher.
2) Vão sentir muito mais disposição física e mental para o trabalho, lazer e qualquer outra atividade. A testosterona acumulada é um poderoso estimulante.
3) Nos dias em que for solto pela mulher, e esta o permitir gozar, vai experimentar orgasmos tão fortes e prazerosos, que vai amar a ideia de acumular o gozo. A qualidade do orgasmo vai superar a carência de quantidade.

            - Bem, agora vamos ao intervalo de 30 minutos, e retornamos com a 2ª parte que traz mais questões práticas da castidade e sobre as técnicas de Provocar e Negar, conhecido também como "Tease and Denial". Servirá para mantê-lo com o tesão sempre aceso e cada vez maior. Se mais alguma dúvida surgir até lá sobre esse primeiro assunto, a gente bate de novo. Vocês podem fazer o que quiserem no Spa, inclusive pedir pros nossos meninos fazerem mais massagem em vocês, fiquem à vontade. Até daqui a pouco.