29 de dezembro de 2015

"Castidade Masculina? Meu marido enlouqueceu?"

Se você é mulher e seu marido apareceu de repente com uma ideia absurda de você trancar o pênis dele com um cinto de castidade, não fique tão chocada. Esse texto vai ajudar você a entender o porquê dessa atitude corajosa. Clique na imagem:

Se você for homem, e revelou sua fantasia para sua mulher, mas ela não entende o porquê você quer que ela o tranque em castidade, e você não sabe ao certo como explicar, clique na imagem acima, e poderá aprender também!

By Squal.

Mais uma do Servo ADM

A continuação da Saga "A Esposa de Otávio". Nesse 2º capítulo, Otávio conta como se estabeleceu a rotina inicial em seu casamento com Mariana. Toda sensação de um mortal recém casado com uma Deusa, em um único texto. Confira:


22 de dezembro de 2015

Sorteando a Soltura nos Jogos

Penúltimo Capítulo do Manual de Relacionamento FEMDOM de Mistress Ivey. Para aqueles que curtem deixar que os dados, as cartas e as roletas decidam quanto tempo mais o maridinho casto permanecerá trancado. 

Só um trechinho do capítulo para atiçar o paladar:

"Agora, vamos falar de jogos. Eu adoro jogar esses joguinhos de dominação. A maior razão é que eles acabam por dar alguma esperança ao submisso de que ele poderá ter um orgasmo. Esperança é uma coisa boa para ele nessa situação. Acredite, a esperança dele em gozar a qualquer momento te ajuda a controlá-lo."  Mistress Ivey

 
Como sempre, ótimas dicas da atual musa do nosso Blog. Só clicar na imagem:


17 de dezembro de 2015

Novidade no Blog!! A Casa da Castidade

A história é a seguinte:

Você é um cara descuidado com o histórico do navegador, e sua esposa descobriu que você anda fuçando em sites de submissão masculina e casamentos FEMDOM. Então ela engoliu a raiva e resolveu pesquisar a fundo. Com alguns cliques, ela conheceu o CMC, e se apaixonou pela ideia de te manter em castidade, face aos benefícios que ela pode usufruir, já que agora sabe que você é um marido submisso, doido para ser dominado pela mulher que ama.


Sua amada esposa


Então, ela pesquisou bastante e descobriu um Curso de Castidade Masculina para homens, em uma cidade próxima. Não pensou duas vezes: inscreveu você, e depois revelou que sabe de tudo. Te chantageou, dizendo que se não concordar em fazer o curso, ela vai contar tudo sobre suas aventuras em sites de dominação feminina para os seus amigos do bar, seus colegas de trabalho e seus familiares. Com a sua reputação de machão em risco, não lhe resta outra alternativa a ceder aos caprichos sexuais de sua mulher. 

Não desaponte sua mulher! Quer um conselho? Não goze enquanto não lhe for permitido! Vai por mim:


15 de dezembro de 2015

Só para os que curtem Cuckold!!

É isso aí, galera do CMC!!!

Eu sei, eu sei. Muitos já me escreveram que não curtem nem um pouco, e brocham a imaginar suas keyholders sequer pensando em outros homens. 

Mas ninguém pode negar que essa fantasia tem muita ligação com a castidade masculina. Afinal, faz sentido pensar na possibilidade de, caso a mulher seja propensa a isso, nada mais coerente do que ela desejar um pênis maior que a satisfaça, tendo em vista que o pintinho do marido vive trancado em um cinto de castidade. Vamos lá, admita que SE ela deseja isso, não é à toa. 

Se você é dos que jamais pensaria em ser corninho, apesar de amar ficar em castidade, tem todo o direito de se sentir do jeito que se sente. De fato, muitas mulheres jamais fariam isso, muito menos fantasiam estar com outro homem, mesmo mantendo seu marido preso. Se você faz parte desse grupo, é simples: pule este capítulo e aguarde os próximos, porque também são maravilhosos! Não pense que o manual de Relacionamento FEMDOM acaba aqui, ou que para praticar castidade masculina a prática cuckold é obrigatória, LONGE DISSO. Uma coisa não depende e nunca dependeu da outra, apesar de muitos ligarem as duas coisas.

Mas se você é da parcela dos leitores e leitoras, que também gostam de imaginar ou querem aprender a MELHOR FORMA DE TESTAR para ver se dariam certo na prática cuckolding, este é o seu capítulo!! Clique na imagem abaixo, e aprenda com Mistress Ivey:

  

9 de dezembro de 2015

Minha mulher me veste de mulher!!

Mais um capítulo de Mistress Ivey, no Guia de Relacionamento Femdom.

Controverso o assunto. Nossa escritora mostra que se isso faz parte da fantasia do submisso, ela pode usar isso a favor dela. Mas se vestir calcinhas e ser maquiado não fazem parte dos fetiches dele, a mulher dominante pode se aproveitar disso também! Ela ensina. Veja como clicando na imagem:


3 de dezembro de 2015

Dicas importantes para as mulheres dominantes

Mais um grandioso capítulo do grande Guia de Relacionamento FEMDOM, de Mistress
Ivey!

Desta vez, voltada para as questões práticas relacionadas com o fato de que a mulher assumiu a posição dominante não só na cama, mas na vida a dois como um todo. Dicas valiosas para as mulheres que pretendem dominar, ou para aquelas que já o fazem mas vivem enfrentando discussões e resistência por parte do marido/noivo/namorado/parceiro fixo.

Querem aprender mais? É só clicar na imagem:


29 de novembro de 2015

As Fantasias do Homem

Mais um capítulo do Guia de Relacionamento Femdom de Mistress Ivey, dessa vez abordando como e por que a mulher que pretende usufruir das maravilhas de dominar, DEVE saber e usar as fantasias de seu parceiro submisso a favor dela.

Só clicar na imagem abaixo:


26 de novembro de 2015

Laura sobe o nível de humilhação em seu TCC!

E aí galera do CMC!!


Nessa primeira parte do 10º dia de contrato de castidade, Laura sobe mais um degrau quando o assunto é humilhar: registrou parte do seu trabalho em vídeo! 

Vale conferir, clicando na imagem:


"Observem que a cobaia obedece todas as minhas ordens. Por mais humilhantes que sejam!"

24 de novembro de 2015

Inversão, Orgasmo Arruinado e Ordenha

Fala galera! Tá difícil, mas ta saindo!

Mais um capítulo do Manual FEMDOM de Mistress Ivey: Como a mulher pode se divertir com as brincadeiras anais (no homem, claro) e orgasmo arruinado, e como isso pode ser útil para o relacionamento FEMDOM, vale a pena conferir, clique na loira pronta para o jogo, logo abaixo:

http://castidademasculinacontrolada.blogspot.com/p/como-viver-uma-relacao-femdom-real-cap_66.html

20 de novembro de 2015

Torturando as Bolas do Maridinho Submisso (Curso FEMDOM)

O capítulo 13 do Curso de relacionamento Femdom de Mistress Ivey está dolorido e ao mesmo tempo excitante, em pensar como é prazeroso se submeter assim à mulher que se ama e se venera.

Confira:




17 de novembro de 2015

Contribuição de Leitor

Olha o texto enviado por um de nossos leitores (pediu para ser identificado como Servo Adm).

Trata-se das sensações mais marcantes de um homem casto: quando tudo começa. Vale a pena conferir (clique na imagem):


"O CASAMENTO DE OTÁVIO"

14 de novembro de 2015

Seu marido se comportou mal. E agora?

Mistress Ivey ensina como fazer para nos corrigir quando pisamos na bola com nossas keyholders!

Confira:
(Clique na imagem)

Como Viver Uma Relação FEMDOM. Cap #12

8 de novembro de 2015

TCC de Laura - 9º dia: Na faculdade

Uma outra colega começa a notar algo entre Laura e eu.
Um sorteio inesperado de intercâmbio em Portugal.
Minha Doutora me convocando para serví-la (em todos os sentidos)

Clique na imagem:



5 de novembro de 2015

Como Recompensar seu Marido Submisso

Chegou o capítulo 11 deste maravilhoso guia da nossa tão admirada Mistress Ivey: "Como Viver Uma Relação FEMDOM". É muito aprendizado! Clique na imagem abaixo, e confira:




3 de novembro de 2015

Depoimento da Gauchinha

Nome: Fernanda
Idade:26 anos
Naturalidade: Porto Alegre
Relacionamento: Noiva
Especialidade: Orgasmo Arruinado.

Quer saber o que ela tem a compartilhar? Clique na imagem (tirada da internet):



31 de outubro de 2015

Laura resolve ordenhar seu cobaia!!!

Depois de convencer sua doutora que estava com excesso de tesão, ela concede a ele um certo alívio. Isso porque ele se comportou muito bem no Shopping. Pra conferir como foi a história, é só clicar na imagem:



26 de outubro de 2015

A Volta do Blog

Caros leitores e leitoras do CMC!

Mais uma vez peço desculpas pela tamanha demora em atualizar o blog! Como vocês já devem saber, não tenho como viver em função desse honroso meio de divulgação dos nossos fetiches favoritos, mas sempre que posso preparar algo com qualidade para vocês, eu me esforço para compartilhar. Logo aparecerão mais novidades interativas.

Como forma de tentar minha redenção, estou fazendo uma postagem dupla:

O Capítulo 10 do Guia de FLR da Mistress Ivey (Castidade Masculina) e a continuação do 7º dia de castidade do nosso caro "cobaia" da querida Laura com seu TCC espetacular. É só clicar em alguma das imagens abaixo, da sua escolha!

Não percam! Boa leitura.


                                                       
      Capítulo 10 - Guia da Relação FEMDOM           TCC de Laura - Continuação do 7º Dia

15 de julho de 2015

Superando o Medo e a Culpa




Como uma mulher dominante pode lidar com o receio de usufruir da submissão de seu marido? Como superar o possível sentimento de culpa após aplicar uma punição (seja física ou psicológica) por um mal comportamento de quem deveria ter se comportado como um cavalheiro?

É isso que Mistress Ivey quer nos mostrar com mais esse capítulo de "Como Viver Uma Relação FEMDOM Real" 

As mulheres que estão assumindo sua posição de dominância, tem bastante a aprender com a experiência de Mistress Ivey. Confiram:

8 de julho de 2015

16 de junho de 2015

Cartilha de Castidade Masculina para Mulheres

É isso aí, mulherada que curte o CMC. Bem interessante a página, com perguntas e respostas no final. Clique na imagem abaixo:

http://castidademasculinacontrolada.blogspot.com/p/cartilha-para-mulher-por-doutora.html

                                                                            






31 de maio de 2015

Entrevista com a Hotwife e Keyholder "K"

ENTREVISTA IMPERDÍVEL!



Leitora do Blog, "K" (pediu para revelar apenas sua inicial), aceitou o meu pedido de dar uma entrevista para nós, depois de enviar este email para mim:

"...somos um casal novo muito tímidos e realmente casados, somos praticantes de cuckolding, inversão e atualmente tenho me interessado muito pela castidade. Na verdade não seria para deixá-lo sem sexo, mas sim para que eu possa ter controle, adoro ter esse poder rs, ele também gosta da sensação de submissão por isso o tema [castidade masculina] tem nos chamado a atenção..."

LEIAM AQUI

28 de maio de 2015

O TCC de Laura - 6º Dia - "De Calcinha para a Doutora"

Fala Galera!

Como prometido, volto a publicar no blog, a continuação dessa nova saga de Castidade Masculina! 

Espero que gostem e comentem bastante!

Logo logo, posto mais novidades! O link está logo abaixo da foto desses lindos pés!

Squal!

31 de março de 2015

Fechado para Balanço



Olá, leitores e leitoras do blog Castidade Masculina Controlada!

Queria me desculpar com todos(as) vocês, mas não estou conseguindo arranjar tempo para dar continuidade às publicações de contos e traduções para o Blog.

Estou em um período conturbado de estudos da minha pós, e o volume de matéria para ler e escrever está imenso.

Em respeito àqueles que acessam quase diariamente o meu Blog e se frustram com a espera de novidades, principalmente a deliciosa história do TCC de Laura, toda vez que precisar dar um tempinho maior aqui no blog, essa foto do keep calm vai aparecer com a previsão de retorno das novas publicações. Voltarei com novidades, como entrevistas a pessoas que vivem na vida real o estilo de castidade masculina e cuckolding, novas captions, e início de novos manuais, com a continuação do que já começou.

Durante a minha ausência, porém, ainda responderei a todas as mensagens enviadas por meio da aba "CONTATO" do Blog, com todo prazer. Não deixem de escrever suas dúvidas, críticas, sugestões e propostas.

Grande abraço a todos os leitores, e beijos nos pés de todas as leitoras.

Previsão de Retorno: Final do mês de Maio/2015.


26 de março de 2015

TRIBULUS TERRESTRIS: Suplemento da Castidade Masculina?

             

             Muito se tem falado dessa planta "milagrosa" para a libido tanto do homem, quanto da mulher. Aqui vai o link da wikipedia para a descrição dessa planta:

WIKIPEDIA - TRIBULUS TERRESTRIS

             Existem controvérsias a respeito do aumento da taxa hormonal, mas é de consenso geral a muitos anos em todo o mundo, que o uso da dosagem correta aumenta em muito a libido. 

             O que os leitores acham ou já leram a respeito? Seria o Tribulus o suplemento da Castidade? Poderia ser usado pelas nossas keyholders para nos deixar ainda mais frustrados, excitados e obediantes, reforçando nossa libido contida pela gaiolinha de castidade? Imaginem o casto tomando regularmente, estando preso, tendo seu tesão duplicado enquanto está impedido de gozar? Comentem a vontade!


 

Apresentação do Blog

Caros leitores,

          Este Blog foi feito para ajudar a divulgar a CASTIDADE MASCULINA como ferramenta para promover a maior felicidade das mulheres principalmente (e de tabela, também dos homens), tendo seus namorados/noivos/maridos mais carinhosos, atenciosos, fiéis e cheios de desejo e romantismo por suas namoradas/noivas/esposas, assim como eram no início do relacionamento, quando a paixão era intensa e o cortejo por parte dele era constante.

              Querem saber exatamente do que se trata a prática da Castidade Masculina? Cliquem na Aba "O que é Castidade Masculina" e leiam as definições para um melhor esclarecimento.
                   
     

Mulher, 

         O seu relacionamento é o mesmo que no início? Seu parceiro não te dá mais a atenção, ouvidos, compreensão, amor, carinho e sedução como nos tempos de namoro e conhecimento mútuo? Descubra como você pode resgatar tudo isso!  A aba "SÓ PARA MULHERES" tem algo muito importante para te mostrar.
          A maioria das mulheres que acabam se deparando com assunto deste Blog, é porque pesquisaram sobre um problema muito comum que atormenta a maioria delas: "MEU MARIDO SE MASTURBA". Faça um teste, digite "meu marido se masturba" no google, e verifique que esse problema infelizmente é muito comum. Existe uma aba só para esse assunto também, logo aí em cima, é só clicar se quiser saber mais sobre isso, e quais as possíveis soluções, caso esteja passando por esse problema.
           Depois que você se familiarizar com o assunto, e estiver disposta a conhecer mais, ou até mesmo experimentar a castidade masculina na vida real, temos também a aba "ROMANCES" também possui traduções de livros sobre os diversos assuntos do blog, de forma a inspirar você mulher de uma forma menos pornográfica e com mais conteúdo literário.


Homem,

         Quer conhecer uma nova forma de se relacionar com sua mulher, buscando a valorizar mais, e se submeter ao poder de sedução feminino? Explore o Blog e surpreenda-se. Já possui conhecimento sobre o assunto? Aprenda ainda mais e divirta-se com todo o conteúdo.
               Se você já conhece sobre o assunto e só quer navegar pelas inspiradoras captions, quadrinhos eróticos e contos, divirta-se clicando nos marcadores da barra lateral cujo título é "Assuntos relacionados".




      O blog borda, em segundo plano, outros fetiches que podem ou não ter relação com a Castidade Masculina, como Femdom, Cuckolding, Feminização, PodolatriaPegging (Inversão de Papéis), incesto, bigamia, entre outros, mas sem nunca perder o foco que é a castidade masculina, prática que pode ser perfeitamente realizada por todos os casais, desde os mais "certinhos" até os mais "liberais". 

       Agora o Blog está com o layout de páginas, como podem ver as abas acima. Assim fica separado por assunto de forma a atender apenas aos interessados especificamente em algum tema. Com isso, essa fica sendo a última publicação em forma de post. Mas não se preocupem, tudo que for sendo publicado em novas páginas vai estar anotado ao lado, no item "úlitmas postagens". 

Espero agradar a maior parte dos seus gostos.


Fiquem à vontade e sejam bem-vindos.

17 de março de 2015

O TCC de Laura - a continuação do 4º dia em castidade

Laura pegou seu casto fazendo sacanagem com uma colega (ou o contrário?) no próprio quarto. Qual será a reação dela? O que vai sobrar para nosso personagem casto e encurralado pelo tesão? Confira no link abaixo:



 

2 de março de 2015

Nova política de pornografia para todos os Blogs

Olá, Amigos.

Estou esse tempo todo devendo a continuação do TCC de Laura, e tenho duas notícias para passar a todos, uma boa e uma ruim.

A boa é que já estou terminando a parte 4-b (continuação da parte 4). E logo devo estar publicando.

A ruim, é que o Blogger vai adotar uma nova política de exibição de imagens com nudez e sexo explícito, que promete mudar radicalmente a estrutura do meu blog. Confiram aí o print do email que eu recebi:


Pelo que entendi, todas as postagens do CMC que possuem imagens explícitas de sexo, ficarão restritas aos autores e às contas de email com as quais compartilharmos. Com isso, algumas postagens essenciais para visitantes, que eu faço questão que sejam de acesso para usuários anônimos e que nunca entraram antes no blog, (Cursos, TCC de Laura, Dicas, etc) terão que ter suas imagens mais picantes removidas, para que elas continuem sendo exibidas livremente. As postagens essencialmente formadas com imagens de sexo e nudez explícita estou pensando em duas soluções:

A) Mantê-las no blog, sendo que somente usuários membros (hoje contamos com mais de 60 membros) terão acesso a essas postagens.

B) Migrar todas as postagens para uma filial no tumblr, que já inscrevi (castidademasculina.tumblr.com), postando links atuais no blogger, fazendo um elo permanente simultâneo entre o blogger e o tumblr.

Como sempre busquei a participação de todos, peço opiniões dos membros e amigos para opinar sobre qual das suas seria a melhor opção, ou ainda se existem outras possibilidades para esse caso. Eu tenho até o dia 23 de março para estar com tudo feito.

Agradeço a todos.

Squal!

22 de fevereiro de 2015

Provocações












Você deve raspar as pernas de sua Domme e o acordo é o seguinte:
Caso se saia bem, como recompensa você ganha o direito de  chupar sua bucetinha lisinha até que ela goze.
Mas caso saia uma gotinha de sangue de suas pernas, sua bunda também sangrara.

7 de fevereiro de 2015

O TCC de Laura - 4º Dia - Servindo na Festinha

Depois de algum tempo sem internet, finalmente consegui escrever e editar a continuação da nova saga. Espero que gostem! Comentem lá o que acharam! 


23 de janeiro de 2015

Como Revelar à sua Amada? - Nova Seção do Blog

Fala Galera!

É isso mesmo! Resolvi melhorar a postagem sobre a "Carta Para Minha Amada" (troquei "sua" por "minha" para facilitar o entendimento da mulher, que é a destinatária), criando uma nova seção (aba no cabeçalho do blog) para disponibilizar a explicação e o download do arquivo direto do blog.

Com isso, vocês não dependem mais de mim, para eu mandar por email. Fica aí o link para o
download sempre que vocês quiserem, e como tudo neste blog, de graça.

Acesse a nova Seção logo aí em cima no meio das abas, ou então clique aqui  

Se não for pedir muito em troca, faz um comentário aí em baixo e clica em g+1, para ajudar na divulgação do blog. Obrigado!


 

18 de janeiro de 2015

O TCC de Laura - 1º Dia - "Conseguindo uma Cobaia"

A mais nova saga aqui do blog como havia prometido a alguns dos que entraram em contato comigo. Segui a dica do meu amigo ADM Castidade sobre o tema. Se for do agrado dos leitores, comentem no final se vale a pena continuar. Squal!



1º Dia - Conseguindo uma Cobaia


            Deixe-me lhe contar uma história ...


      Uma história que conta sobre quando tudo o que se sabe sobre sexo muda radicalmente. Ela começou propondo um experimento inofensivo, mas as consequências foram além do que eu tinha imaginado. Tudo parecia tão inocente, com um objetivo tão puro, mas, no fim, tornou-se muito mais do que isso.


          De volta à faculdade, eu tinha conhecido uma menina especial, uma garota chamada Laura. Ela era extremamente bonita, mas um pouco incomum na forma de se vestir e se portar. Ela gostava de usar saias curtas, botas ou sandálias altas, calças justas, corsets, tops, muito lápis de olho, etc. E considerava-se a pessoa mais "alternativa" em qualquer grupo de pessoas em que estivesse enturmada. No entanto, todos a toleravam porque ela era, de fato, extremamente bonita. Ela podia sair com quem ela quisesse. E foi esse poder que ela usou para chegar até a mim.




Um dia, do nada, ela me pediu para encontrá-la sozinha em um restaurante de uma pousada perto do campus. Intrigado com a clandestinidade do seu pedido, eu a encontrei feliz depois que minhas aulas da manhã foram concluídas. Ela chegou, como de costume, em uma pequena saia plissada e curta com meias-calças pretas e botas de cano alto.

Sem que absolutamente ninguém soubesse, eu tinha uma enorme fetiche por meias/espartilhos/botas/meias-calças. Por isso, era um pouco perturbador estar sozinho com ela. Eu já havia tentado a dizer a ela sobre esse meu fetiche várias vezes, mas sempre fiquei próximo da verdade, muito envergonhado e não disposto a me colocar em risco. Enfim, vamos seguir em frente com a história.

"Então, eu tenho grande, grande favor para te pedir," ela perguntou.

"Ah, é? O que é?" Eu perguntei, tomando meu refrigerante e puxando alguns livros da minha mochila.

"Bem, eu preciso de ajuda com um projeto especial que eu estou fazendo para minha aula de psicologia. Eu meio que preciso de uma ‘vítima’ voluntária para o meu estudo sexual mais recente", disse ela, brincando com o canudo em sua bebida.

Um estudo sexual? Hmm, com ela? Claro! Eu poderia sim ...

"Bom, tudo bem, pra que tipo de teste eu estaria me voluntariando?”

Laura franziu o rosto da maneira mais linda que uma menina poderia um dia fazer, e começou a explicar sua experiência para mim. Parecia uma coisa completamente louca.

"Basicamente, você estaria me dando controle total do seu sexo, durante um mês inteiro. Aí, você precisaria manter um diário da experiência, enquanto eu ofereço a observação objetiva da experiência. Minha teoria é que, quanto mais a capacidade de um homem obter alívio da tensão sexual é suprimida, mais disposto ele fica para fazer atividades não relacionadas com a sexualidade. Além disso, eu acho que nunca houve um experimento como este antes, então você seria o primeiro a participar de algo nesse sentido, e eu poderia ser a primeira graduada a publicar algo inédito nessa área!"

Eu refleti alguns segundos sobre a proposta de Laura. Envergonhado. Meio chocado, devo admitir. Muito diferente e, ao mesmo tempo, algo que mexeu comigo. Basicamente, eu concordaria em não me masturbar por um mês? Humm, eu até poderia "concordar" com isso, especialmente se isso significava ficar mais tempo sozinho com Laura.

"Tudo bem, vamos supor que eu concordasse em ser seu voluntário para este pequeno estudo", eu disse, observando-a de perto. "E então, como faríamos?"

"Bem, precisamos cuidar de algumas pequenas coisas administrativas, claro. Você precisaria assinar um documento concordando com o meu estudo, uma renúncia que também diz que você está oferecendo-se para usar um cinto de castidade durante o estudo..."

Eu quase cuspi na minha água. Um o quê?

"Desculpe-me? Você quis dizer um... cinto de castidade?"

"Claro! Você acha que eu sou alguma idiota? Qualquer cara pode dizer que ele não está se masturbando, e na verdade trapacear. Como vou ter certeza de que cumpriu com a palavra e não se tocou escondido em casa, sozinho? Tenho que ter uma garantia, né! Eu pesquisei sobre isso on-line e descobri que existem diversos aparelhinhos de castidade masculina e são modernos, discretos, seguros e confortáveis, não devem machucar. Quer dizer, ele pode ser desconfortável se você ficar excitado, mas não vai ser doloroso. Você só vai precisar se acostumar com ele".

Isto foi como estar dentro de um furacão dentro do meu peito. Laura não sabia, mas eu era fissurado por bondage, dominação feminina e algumas outras coisas masoquistas, mas usar um dispositivo de castidade? Durante um mês? A ideia soou um pouco assustadora.

"Eu vou ter a chave do seu cinto de castidade todo o tempo. Na verdade, eu ainda vou colocá-la em meu colar, como um pingente, para que você possa se sentir melhor, sabendo que eu vou poder te soltar em caso de uma emergência."

"Eu só... eu não sei. Isso tudo é um pouco demais pra mim", disse eu, sem saber o que responder.

"Bem, se você aceitar me ajudar com meu estudo, eu tenho certeza que eu poderia falar com meu professor para ele te dar algum crédito honorário pela participação. Seria certamente útil para melhorar suas notas, não é?"

Ela estava certa. Embora ela não soubesse disso, eu estava perigosamente perto do limite de perder minha bolsa de estudos. Eu estava pairando com minha média em torno de 3,75. E se eu caísse mais alguns centésimos, eu não seria capaz de pagar a faculdade. Uma pequena pontuação adicional seria extremamente útil.

Os grandes e lindos olhos de Laura me encaravam pidonhos. Isso também a ajudou muito  a me convencer. Eu seria capaz de lamber as botas dela na frente de todo o restaurante se ela me pedisse. O que era só um mês? 30 dias terminariam antes que eu percebesse.

"Ok, você conseguiu sua vítima", eu disse. "Ai, no que eu fui me meter?"

           "Ah, não se preocupe, vai ser divertido! Mais ou menos," disse Laura, rindo.

          Depois de uma hora de tentativa e erro, eu finalmente consegui “vestir” o cinto de castidade que Laura me deu. O anel de base não era muito apertado ao ponto de cortar a circulação de sangue para as minhas bolas, mas firme o suficiente para que eu não pudesse escapar por nada. O pino manteve a gaiola fixa a uma distância próxima o suficiente para manter a circulação fluindo, mas firme o suficiente para que eu não tinha qualquer esperança de puxar o pênis para fora. Parecia ser bastante eficaz mesmo.



E, é claro, de imediato, meu pau tentou ficar duro, mas foi imediatamente bloqueado pela minúscula gaiola de inox em que ele se encontrava enclausurado. Pulsando com cada batimento cardíaco, a pressão sobre o meu pau para que ele ficasse duro só me fez ficar ainda mais excitado. Será que nos próximos 30 dias realmente seria assim? Eu já tinha clicado o cadeado, o trancando e Laura tinha todas as chaves.

"Ei, colega! Eu quero ver como ficou, heim!" Laura gritou do outro lado da porta do banheiro. Era assim que ela me chamava. Colega.

Nós estávamos em seu quarto, na pousada, que na verdade tinha um banheiro em anexo. Eu sabia que ela tinha que ver para ter certeza de que eu tinha me trancado, e não estava fingindo ter cumprido minha parte na pesquisa, mas estava morrendo de vergonha e na verdade, não queria deixá-la me ver com aquilo.

"Você tem certeza? Eu..ui... talvez isso não seja uma boa ideia", eu disse, me ajoelhando no chão do banheiro, quase incapaz de me levantar com a intensa pressão sobre o meu pau, mantido dentro de 8 centímetros de espaço, ao invés dos 18 cm que ele precisava para ficar ereto. Eu não poderia deixar de gemer um pouco com o desconforto.

         "Ah, qual é, tudo isto faz parte da experiência. Eu tenho que ver como ficou, e o termo que você assinou diz que você tem que me deixar ver", disse Laura.

Comigo ainda ajoelhado no chão, Laura entrou, vestindo outra roupa. vestidinho curto e colado, meia-calça branca, expondo suas pernas carnudas e lisinhas.


"Oouuummm, tadinho!" Ela disse, se abaixando e afagando meu rosto. "Parece mesmo que essa tal de castidade vai ser bem desconfortável pra você! Então, acho melhor você se acostumar logo com ela."



"Por favor, Laura, eu não sei se eu posso fazer isso. Parecia bom no papel, mas é mais intenso do que eu pensei que seria," eu admiti, meu pau contraindo a cada respiração minha.

"Cobaia desiste instantaneamente do acordo", disse Laura para si mesma, olhando pra cima com ar de reprovação, enquanto se erguia. "É assim que eu vou ter que começar o meu artigo científico... aafff"

Embora tivessem sido apenas alguns minutos, fiquei surpreso com o quão incrivelmente excitado eu tinha ficado, especialmente sabendo que Laura era a única que poderia me permitir ter um orgasmo. Sem sequer pensar nisso, eu estava beijando suas botas.

"Por favor", eu disse entre os beijos, "tenha misericórdia de mim."

Laura simplesmente caiu na risada. "Eu acho que você esqueceu de beijar nessa parte!" ela disse, empurrando sua bota firmemente debaixo do meu queixo. Laura pegou uma prancheta e um lápis e começou a escrever dizendo: "Verdadeira natureza da cobaia parece estar enfim revelada: extremamente submisso e começou a beijar minhas botas para implorar pela liberação". Laura ia dizendo para si mesma e anotando. Ela continuou:            

"Infelizmente, eu não vou liberar a cobaia de sua castidade por trinta dias. Ele pode beijar e lamber minhas botas para satisfazer o coração dele, mas eu suponho que isso só vai tornar esse dispositivo de castidade ainda mais desconfortável, embora pareça satisfazer alguma compulsão imediata."

Ela estava certa, eu não poderia ajudar a mim mesmo. Sua meia-calça, suas botas, a saia curta, a gaiola castidade... era muita coisa ao mesmo tempo, e eu me encontrei obedecendo a algum instinto mais básico. Acho que foi o instinto de ser submisso.

Eu cheirei o couro de suas botas e as adorei como se fossem uma divindade, desejando além da esperança que ela fosse sensibilizada e me destrancasse para fazer um sexo selvagem e pervertido comigo. Em vez disso, ela simplesmente me observou enquanto o culto às botas dela passou de poucos minutos para dezenas de minutos, e para uma hora inteira. Em um determinado momento, ela tinha agarrado seu caderno e começou a escrever notas enquanto eu seguia suas botas como um cachorrinho perdido pelo quarto.

"Você pode beijar as minhas botas o quanto você quiser, mas eu não vou deixar você sair dessa gaiola castidade", ela dizia rindo cruelmente. "Isso é fascinante. Ontem mesmo, eu nunca poderia imaginar que você estaria fazendo isso que está fazendo agora. Mas você tira a liberdade de um homem para que tenha um orgasmo e quem sabe o que ele vai acabar fazendo? Humm, eu me pergunto, custaria muito a você, se tirasse as minhas botas e desse aos meus pés uma boa massagem?"

Sem hesitar, eu abri as lindas botas até a altura do joelho e cuidadosamente coloquei no chão, segurando seus pequenos pés em minhas mãos. Eu ainda estava nu, exceto pelo dispositivo de castidade no meu pau. Eu trabalhava lentamente minhas mãos através de seus dedos dos pés e as pontas dos pés, ouvindo-a gemer de prazer.


"Aaahh... isso... bem assim mesmo...assim...", ela suspirava, continuando a escrever em seu caderno.



Seus pés estavam a poucos centímetros do meu rosto, e eu não pude deixar de sentir o cheiro almiscarado do suor e da meia-calça, fazendo meu pau se contorcer dentro da minha gaiola, desconfortável. Na verdade, eu estava bem inquieto, e Laura finalmente percebeu.

"Putz, eu te pedi pra tirar minhas botas e agora você não consegue ficar sossegado? Você tem uma coisa por pés ou algo assim?" disse ela, de repente, tirando o pé da minha mão e empurrando os dedos contra o meu nariz.

Eu me sentei e fiquei totalmente parado, inalando o perfume do pezinho dela, mesmo suportando a pressão intensa da gaiola, meus fluidos escorrendo pelo buraquinho frontal da gaiola, direto para o chão.

"Oh meu Deus! Há quanto tempo você tem esse fetiche?", ela perguntou.

"Há muito tempo," eu disse, incapaz de mentir para ela.

"Por que você nunca disse nada para mim? Eu poderia estar me servindo assim de você desde o primeiro ano!"

"Eu não sei, eu achei que você não curtia isso."

 "Ai, e por que você acha que eu uso botas e meia-calça o tempo todo? É porque isso é ótimo! Infelizmente, isso significa que os seus 30 dias vão ser pura tortura pra você. Eu não sabia que você tinha esses outros fetiches borbulhando, eu achava que você era apenas um cara normal e que essa coisa de castidade não seria uma grande ideia pra você. Mas agora eu te conheço melhor!"

“Está vendo? Você não poderia encontrar mais alguém pra fazer seu trabalho de pesquisa? Já faz pouco mais de uma hora e eu não sei se eu posso lidar com isso por um dia sequer, muito menos de trinta."

"Sinto muito, você assinou o papel. Seu pênis é meu por 30 dias, e eu já estou conseguindo valiosos dados para a pesquisa. Quero dizer, olhe como você está aberto e honesto comigo depois de apenas uma hora da castidade. Isso vai além da sexualidade, isso toca na identidade pessoal. Eu poderia escrever um livro sobre isso!"

Ela chutou bem devagarinho minha gaiola, causando um espasmo de intensa pressão, mas nenhum prazer. Então, ela me empurrou pra trás com os pés, me fazendo deitar, e os descansou no meu rosto, permitindo-me cheirá-los e lambê-los envolvidos pela meia-calça, enquanto ela continuava a escrever em seu caderno.

"Agora, fica quietinho enquanto eu trabalho, viu? Preciso relaxar e me concentrar enquanto você faz a sua parte do trato", disse ela, apoiando o calcanhar na minha boca aberta, enquanto o outro pé descansava em cima do meu nariz. Tudo o que eu podia sentir era o cheiro ou sabor dos seus pezinhos na meia-calça, o que naturalmente causou constantes tentativas de ereção que eram imediatamente contidas desconfortavelmente pela minúscula gaiola de inox que mantinha o meu pau prisioneiro dela.

"Eu acho que você realmente precisa pensar sobre como você vai lidar com essa gaiolinha de castidade dia e noite nos próximos trinta dias, especialmente comigo por perto constantemente te provocando com as minha meias e botas. Eu não planeja mesmo fazer isto de um jeito fácil para você. Na verdade, eu acho que seria divertido ver você beijar as minhas botas no meio do pátio da faculdade, você não concorda? Ei, você não tem mais liberdade de escolha, não com esse pinto trancado assim. Tenho a sensação de que você faria qualquer coisa que eu mandasse, especialmente se houvesse uma chance de eu deixar você sentir o cheiro dos meus pés de meia-calça, depois de você obedecer".

Ela estava certa, eu estava descendo para um nível de submissão que eu nunca tinha explorado antes, um nível de obediência total e completa para além de qualquer razão. Durante todo o tempo, eu podia sentir a gaiola constantemente mantendo minha masculinidade sob controle, me limitando de ficar ereto, e me impedindo de obter qualquer prazer mais intenso.

"Vamos começar com estes 30 dias iniciais para que eu possa conseguir o que preciso para a minha pesquisa, mas quem sabe não podemos ir além disso depois que o trabalho estiver concluído?" Laura disse em sua voz bonitinha, permitindo-me saborear e cheirar os seus pés enquanto ela continuava a trabalhar.


"E só pra você saber, você vai ser meu pequeno “assoalho” daqui para frente. Isso me proporciona literalmente ter um homem aos meus pés. Então, com certeza você ainda vai se divertir muito nesse tubo de castidade!"




Aquele mês estava para se tornar longo. Muito longo...