Colega de Quarto - Parte 4 - "Josh Come sua Colega de Quarto"

DIA 8 (quarta-feira)

Submissão? ... o que será que ela queria com isso? Pensei em dar uma olhada nesse livro que ela trouxe, dentre outros, para ver o que ela estava preparando para mim.
Depois de algumas páginas, fiquei muito confuso, mas bem excitado. Eu nunca havia pensado nessa coisa de submissão mas era muito interessante. A idéia de uma mulher poderosa, de entregar a ela o controle sobre o meu corpo. Isso era interessante. Mas eu não queria complicar as coisas ainda mais pra mim, tudo o que eu precisava fazer era sobreviver àquele mês e, na verdade, conseguir fazer pelo menos um pouco do meu trabalho.
Depois do almoço, dediquei cerca de 5 horas de trabalho no projeto. Foi o maior tempo que eu já consegui ficar trabalhando sem parar, era o meu recorde em meses. Mas ainda era difícil pra mim, a única coisa que inundava os meus pensamenteos era aquela buceta gostosa e suculenta, e quando eu iria abocanhar aquele delícia novamente, e ouvir ela gemendo e gozando na minha boca, com aquelas coxas carnudas e perfeitas pressionando contra minha cabeça, uma de cada lado. Ai, minhas bolas estavam ardendo por causa da tentativa da minha ereção. Eu preciso de algum tempo solto, mas como posso conseguir isso? Talvez, se eu pedir, ela vai me entender.
O dia demorou para passar, mas, finalmente, deu 7:00 da noite, a hora que ela normalmente chega em casa. Mas onde ela está? Eu preciso muito falar com ela sobre isso. Já está chegando as 8:00 e nada ... 9:00 da noite! Ai meu Deus, o que eu posso fazer? Devo ligar pra ela? Mando uma mensagem? Não sei, Não somos namorados, ou algo assim, eu nem sei o que somos um do outro na verdade! Eu só sei que preciso que ela chegue logo em casa e me solte desse cinto de castidade!
9:00 da noite! E ela não está aqui ... Vou jogar um video game e tentar desviar minha mente dessa angústia!
10:00 da noite, e ela não chegou! Melhor tentar dormir.




DIA 09 (quinta-feira)

5:00 da manhã e eu já estava ligadão! Como eu consegui dormir com minhas bolas daquele jeito? Quando eu cheguei na sala, ela já estava lá, toda vestida, pronta para ir ao trabalho, salto alto, paletó e o cabelo amarrado com seu habitual rabo de cavalo.
“Bom dia ...” ela disse “O que aconteceu? Você nunca acorda antes das nove!
“Não consigo dormir direito, minhas bolas doem demais. Eu não sabia que isso ia fazer doer assim, juro.”
“Não se preocupe, eu vou ler sobre isso, e vou descobrir um jeito de te aliviar disso, mas hoje você está livre para trabalhar em seu projeto. Vejo você à noite. Tchau!”
“OK, tchau.”
O dia demorou muito para passar. O que ela quis dizer com ler alguma coisa para saber como aliviar a dor das minhas bolas? Eu precisava era gozar! Só isso!

***

Por volta das 7:00 da noite ela chegou com uma caixa.
“Oi, vou cozinhar esta noite, prepare a mesa mas não abra a caixa ainda.”
“Ta bom.” O que será que tinha naquela caixa? O que mais ela precisava acabar com a minha dor? Tudo o que precisava era a chave dela.
Jantamos e falamos sobre tudo, exceto sobre o fato de que eu já estava sem gozar a nove dias, e ela tinha a chave para abrir e soltar o meu pau!
Depois do jantar, ela entrou no quarto dela. Disse para eu tirar a minha roupa, pegar a caixa e seguí-la. Fiquei pelado, estava vestindo só minha gaiola de castidade. Quando entramos no quarto, ela começou a se despir deixando apenas seus sapatos de salto alto ainda calçados. Uau! Que visão espetacular, como é que eu nunca tinha percebido antes que ela era tão gata, eu estava tão viciado em atrizes pornográficas que não notei toda aquela beleza bem embaixo do meu nariz.




Ela se deitou na cama dela e mexeu com o dedo, como quem diz ‘vem cá’. Quando me aproximei, ela me agarrou e começamos a nos beijar e nos tocar com muita vontade, ela já estava bem molhada e eu estava remoendo uma ereção que não conseguia se concretizar. Depois de alguns minutos nesse sarro delicioso e torturante, ela parou e sussurrou no meu ouvido:
"Essa noite você vai me foder..."
Oh, meu Deus, estava acontecendo... eu pensei calado e eufórico: Eu vou gozar! Essa vai ser a melhor noite de todas!
Depois de dizer aquilo, ela se levantou e caminhou em direção à caixa. Antes de abri-la, ela me olhou com um sorrisinho de safada e puxou um grande pau de silicone com algum tipo de arreio, sei lá, parecia uma dessas cintas de montaria ... pensei: eu tenho um pau; não precisamos disso. Mas o maldito brinquedo erótico era grande, bem maior que o meu pau.
“Já sabe né, Josh, você vai ter que usar isso pra mim. Já que você não está podendo usar o seu de verdade né...? Vem cá, levanta que eu vou amarrar isso em você.”
“Por quê? Por que você simplesmente não me solta desse cinto de castidade e a gente transa gostoso?”
“Porque temos um acordo, e eu sempre mantenho a palavra quando o assunto é negócios.”
“Mas eu estou te pedindo, te implorando para isso acabar. Não aguento mais!”
“Não, você não quer isso. Você está apenas excitado e frustrado. Depois que você gozar, vai ficar excitado com isso de novo e vai querer ser trancado de volta.
“Não, eu realmente quero que isso termine.”
“Ah, você quer? Se eu destrancar você antes de você fazer a sua parte do negócio, eu nunca mais vou guardar sua chave, e nós nunca mais vamos fazer amor.
Eu pensei por um segundo, o que eu poderia fazer? Eu estava confuso, mas perder a delícia de tocar naquele corpo, sentir seus orgasmos, seu cheiro, ouvi-la gozar... como eu poderia dizer não a tudo aquilo?
“Então? Você quer isso de volta?” Ela disse, segurando a chave na minha frente.
“Não, desculpe, só está demorando muito...”
“Não se preocupe. Se você for um bom menino, amanhã nós resolvemos isso. Agora vem aqui, vem!”
Eu me aproximei dela enquanto ela ajustava aquela cinta em torno da minha cintura e atarrachou o pênis de plástico em uma abertura que estava logo acima do meu pau de verdade trancado.
“Uau! essa é uma bela imagem! Agora vem e aqui e me fode gostoso, como se não existisse amanhã! Vem!
Ela ficou de quatro na cama, olhou para mim e disse: vem me comer bem gostoso assim de quatro, vem...
Eu me posicionei atrás dela, encaixei a cabeça daquele pau de plástico na entradinha da bucetinha dela e comecei a fodê-la, com força. Nossa aquilo foi tão frustrante! Eu podia sentir a xana quentinha dela pingando no meu pau, mas não podia sentí-la por dentro! 




Sentir aquela bunda carnuda e lisinha batendo em mim, aquele barulhinho de foda, paf, paf, paf, contra meus quadris, enquanto ela gemia de prazer balançando os cabelos...ai... Tudo o que eu podia sentir era aquela bunda perfeita batendo na minha virilha e seu suco caindo de sua buceta e escorrendo pela grade da minha gaiola de castidade. Até que ela parou, se virou de frente ora mim e disse com uma cara de devassa:
“Deita de costas! Eu quero montar em você.
Eu rapidamente me deitei na cama e ela ficou em cima de mim. Abriu as pernas em torno do meu quadril, encaixou o consolo acoplado na minha cinta em sua buceta encharcada, e começou a subir e descer com uma cadência perfeita, eu estava olhando seus seios balançando graciosamente para cima e para baixo, e aquela barriguinha perfeita e lisinha. Eu não aguentava mais! Peguei com uma mão um daqueles peitos e com a outra mão agarrei uma nádega e apertei com força. Ela sorriu para mim e começou a sentar cada vez mais rápido, já revirando os olhos, até que ela gemeu alto e gozou forte por cima de mim! Ela estava ensopada de suor e fluidos de sua buceta.
Depois de gozar, ela se deitou do meu lado e disse:
“Ai, Josh, eu precisava muito disso! E a melhor parte disso tudo é que eu não precisava me preocupar se você ia gozar antes de mim e acabar ficando com o pau mole. Ai, foi simplesmente perfeito.”
“Você é incrível, mas eu realmente preciso gozar. Por favor!”
“Não se preocupa com isso. Agora, tira essa cinta, lava ela na pia, deixa lá secando e vem deitar comigo. Eu quero dormir de conchinha essa noite.


E foi assim que dormimos.




7 comentários:

  1. Wooowww Squal mais um capitulo de arrebentar a gaiola rsrs... muito bom Squal continue assim!
    Att icr

    ResponderExcluir
  2. Muito bom Squal!! Como sempre histórias fantásticas

    ResponderExcluir
  3. Acho que o pobre coitado vai receber uma massagem prostática de alívio e depois foder a colega de quarto com o consolo de novo. Só acho

    ResponderExcluir
  4. Obrigado! Lembro que essa história o mérito é do nosso colaborador do excelente escritor Mark Alicia. E o mais legal, o cara escreveu em inglês, talvez para ter um alcance maior na amazon.com, mas ele é brasileiro! Castidade Masculina tendo sua literatura ampliada em nossa terra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entao parabens estendido a ele rs.... att icr

      Excluir
  5. Simplesmente fenomenal!

    ResponderExcluir
  6. minha esposa e eu estamos quase assim, muito bom esse conto.

    ResponderExcluir

Fala Galera! Fiquem à vontade para comentarem, escrevam o que acharam da postagem! Os comentários anônimos estão liberados.