Entrevista com Sub Jr

Se você não leu a entrevista (no link acima) recomendo que a leia primeiro, para entender melhor esta aqui.


Eles foram o 4º casal a participar da Promoção "Vamos Mostrar sua Gaiolinha na Net", estão lembrados? Rainha Soberana nos brindou com algumas fotos e eu preparei esse quadro aqui:



Pois então, ela me escreveu dizendo estar feliz com a volta do blog, e colocou à inteira disposição de todos o seu marido submisso, o Sub Junior para uma entrevista exclusiva.

(Obs: as fotos reais enviadas pelo Sub Jr, estarão expostas após um "foto real")


Confiram as respostas:

CMC: Quando você descobriu que tinha inclinação ao prazer sexual em ser dominado por uma mulher? Foi desde a infância? Da adolescência? Conte como foi essa descoberta?

Sub Jr: Desde muito cedo eu percebi que tinha algumas preferências, digamos assim, incomuns para a maioria dos meninos da minha idade. Por exemplo, sempre senti algo diferente ao ver calçados femininos de salto alto, ou mulheres os usando, assim como também pelos pés femininos. Claro que isso desde muito novo, talvez 8 ou 10 anos, e por isso eu não sabia exatamente o que isso significava, mas a semente já estava lá, a Podolatria. Esse acho que foi um gatilho forte para minha submissão, mesmo sem saber de nada disso na época. Conforme fui crescendo o desejo foi se intensificando, e com a puberdade, passando a se tornar sexual; e percebi que não sentia excitação apenas em idolatrar os pés e calçados femininos mas também em ser, de certa forma, subjugado pelo sexo oposto já que ao menos para mim era clara a posição inferior, em relação ao sexo feminino, quando se está aos pés de uma Mulher. 



Sempre tive muita facilidade em ter amizades femininas, acho que devido ao meu modo de pensar e agir sempre achando que Elas deveriam ser muito bem tratadas e de forma cordial, acho que isso as atraiam em mim; e então os relacionamentos começaram mas ainda sem saber nada sobre BDSM ou FEMDOM, apenas no instinto. Acho que por volta dos 15 ou 16 anos (não me lembro exatamente....faz muito tempo....kkkkk) eu assisti pela primeira vez um filme Pornô, e não por coincidência (já que não acredito nelas) o filme tinha "conotação" BDSM, porém não FEMDOM, e nesse dia eu descobri que aquilo me deixava louco, porém eu queria estar no lugar da personagem feminina, que era quem obedecia e era "usada" sexualmente. 

Eu ainda era muito novo e era minha primeira experiência, ainda que não pessoalmente, com o BDSM que aliás na época era chamado apenas por SM, mas aquilo disparou outro gatilho em mim. Primeiro fiquei revoltado por uma Mulher estar sendo tratada daquela forma.....kkkkkkk, (quase nada inexperiente né), e depois por ficar me imaginando no lugar Dela, já que no filme em questão Ela era "dominada" por outra Mulher. Desde então comecei a procurar desesperadamente qualquer material a respeito do assunto, e imagine que naquela época (preciso parar de falar assim ou todos vão perceber que já não sou mais um menino...kkkkk) não era nada fácil né.....Internet? claro que não existia ainda...kkkkk, vídeos pornô, apenas para maiores de idade e mesmo assim como descobri alguns anos após quando completei 18 anos, eram raros sobre o assunto. A opção eram publicações em revistas importadas, que também eram proibidas para menores; mas como o desejo só crescia e no Brasil sempre existe um jeitinho brasileiro para tudo (infelizmente), fiz amizade com um jornaleiro (dono de banca de jornal e revistas) e conseguia os exemplares com ele; o que me ajudou bastante com a língua inglesa, olho só as vantagens....kkkkkk

A partir disso foram só descobertas e crescimento, tive muitos relacionamentos baunilha é claro, pois o assunto é tabu até hoje, imagina há 30 anos se descobrissem era capaz de eu ser internado....kkkkk, mas sempre gostei de Mulheres mais "ativas", determinadas e mandonas, e fugia das com tendências submissas; porém como dizem que o amor é cego e o coração não tem razão, me apaixonei perdidamente por uma MULHER que apesar de não ser submissa, nunca tinha ouvido falar de BDSM muito menos FEMDOM....kkkkk

E agradeço a Deus todos os dias por ter conhecido essa MULHER incrível que hoje me tornou completo, após toda essa saga, se tornando minha Dona, minha Deusa, minha Rainha!!!



CMC: Como você tomou coragem para fazer a declaração à sua esposa de que você queria ser dominado?

Sub Jr : O que aconteceu quando conheci minha esposa, e agora Dona, foi o que chamam de "Amor à primeira vista" (ao menos para mim né..kkk), portanto acreditem....isso existe, em 6 meses estávamos casados, com 2 meses já havia pedido a mão Dela em casamento para os seus pais; eu tinha certeza que Ela era a mulher da minha vida, a minha alma gêmea, minha cara metade....kkkk. Nesse momento foi o coração quem falou, não a cabeça debaixo....kkkkkk; eu não estava pensando no BDSM, estava amando de verdade pela primeira vez, e o sexo baunilha era incrível, então isso meio que ficou adormecido naquele momento. Hoje pensando sobre isso, eu acho que na minha cabeça naquele momento, eu planejava contar a Ela sobre meus desejos o mais breve possível, mas tudo aconteceu muito rápido, tivemos o nosso primeiro filho e aí, quem é casado e têm filhos sabe, que tudo ficou mais difícil. Hoje já conversamos muito a respeito, e graças a Deus Ela me perdoou e principalmente me aceitou e não só aceitou como se tornou uma Rainha na acepção da palavra, mas é claro que eu trapaceei. Eu deveria ter contado tudo a Ela antes de casarmos, mas como contar? Ela de família católica, com criação rígida e até participação em grupos de igreja, enfim.....tive medo, medo de ser descriminado, de ser taxado como doente, pervertido, mas principalmente medo de perder o Amor da minha vida. Então arrisquei, mas com a maturidade e experiência que tenho hoje não faria isso novamente, apesar de que deu muito certo graças a Deus....kkkkkk



Então vivemos cerca de 10 anos sem que eu contasse sobre isso, eu reprimi meus desejos a esse respeito ao máximo, e como nunca seria capaz de trair a minha esposa fisicamente, o meu escape era a internet (a essa altura já existia...kkkk).....mas comecei a me afastar inconscientemente da vida real para essa vida virtual e isso abalou nosso casamento, a ponto de quase perdê-La. Foi então que decidi me abrir totalmente, já que nessa altura o risco de perdê-La já era real. Foi um choque para Ela no começo, mas como o que existe entre nós é Amor e não apenas paixão, Ela foi assimilando aos poucos, com a minha ajuda indicando sites, blogs e matérias a respeito, para que Ela entendesse que eu não era um doente....kkkkk, e para minha sorte Ela começou a se interessar mais e mais sobre o assunto e começou mesmo a gostar do FEMDOM.
Até chegarmos ao nosso relacionamento atual onde se Ela me mandar limpar o chão que Ela pisa com a língua eu obedeço cegamente, e sinto que Ela adora isso!!



CMC: O que sua Dona faz que mais te deixa excitado e louco para arrastar a lua abaixo por Ela?

Sub Jr: Com certeza me manter em castidade permanente; sempre fui um masturbador compulsivo e isso derrubava a minha libido e eu me sentia muito mal toda vez que me masturbava, o meu humor ficava terrível e acabava descontando na nossa relação. Hoje com a castidade permanente, meu tesão por Ela está sempre no auge, o que faz com que eu obedeça sem questionar qualquer ordem vinda Dela e faça praticamente qualquer coisa que Ela desejar.


foto real:



CMC: O que Ela faz que você não suportaria se não estivesse em castidade, ou na obrigação de sempre agradá-La?

Sub Jr: Ela me faz e me fez aprender a ter muuuuito prazer com os orgasmos Dela sem que eu possa ter orgasmos plenos, eu acho que se eu não vivesse em castidade permanente eu não aguentaria isso, iria querer gozar de qualquer jeito...kkkkk.....entre outras coisas que não praticamos muito ou ainda não praticamos, como por exemplo a humilhação pública que me excita muito nessa condição de castidade que se não estivesse com o tesão no auge eu não gostaria (não praticamos muito isso pois Ela também não se sente a vontade com isso.....eu acho)......feminização forçada ou em público (isso a Dona adora), se eu não estivesse casto acho que não seria tão prazeroso.
E o maior desejo atual da Dona...o cuckold com bi forçado (ainda apenas nos planos), não estando em castidade permanente eu não sei como iria encarar isso, mas na minha condição eu tenho o desejo ao máximo de que Ela tenha todo o prazer que quiser e merece, e já que eu estando em castidade não posso dar o prazer da penetração a Ela, acho que é o caminho natural e aceito subservientemente, e como disse acima Ela me ensinou a ter prazer através do prazer Dela, e como sei que Ela tem muito tesão nisso, vou ter prazer também.


CMC: Você se sente bem usando roupas intimas feminina e absorvente? Ou isso só serve para que sua Dona o mantenha humilhado?

Sub Jr: Eu já me acostumei...kkkk...não que eu tivesse opção né, simplesmente minha Dona sumiu com minhas cuecas e encheu minha gaveta de calcinhas fio dental, na verdade em castidade isso me excita muito e me faz lembrar o tempo todo que eu pertenço a Ela e faço apenas o que Ela desejar e ordenar; o mesmo ocorre quando 

foto real:



Ela decide que eu vou usar absorvente interno, apenas mais um lembrete de meu lugar. E sim, claro que a humilhação (nesse caso) da feminização contribui e muito com o dia a dia FEMDOM; para mim pelo menos a humilhação é um dos componentes mais fortes para que eu esteja cada vez mais aos pés Dela e amando-A cada dia mais.


CMC- Atualizando a informação, sua Dona bateu o recorde em te manter preso por 30 dias?

Sub Jr: KKKK....sim..e muito....fiquei 108 dias preso ininterruptamente (sendo solto umas 2 vezes nesse período apenas para higienização, o uso do Jailhouse facilita muito esse processo pois a higienização com ele "instalado" é muito boa, praticamente descartando a necessidade de retirada para higiene). 

 Jailhouse


Ele só foi retirado por um período de aproximadamente 20 dias quando viajamos e por ser de metal teríamos problemas no aeroporto e também, pois eu iria usar sunga, o que inviabilizaria o uso do cinto; mas logo que retornamos eu voltei para a gaiolinha e fiquei novamente de forma ininterrupta por 82 dias (sendo solto uma única vez para higienização), quando fui solto para tratar um pequeno ferimento, não causados pelo cinto, pois ele realmente se adaptou perfeitamente em mim nunca me ferindo de forma alguma (além da ardência normal atrás do saco né....isso qualquer cinto causa com a ereção...kkkk), mas por uma feridinha causada durante uma sessão. Depois de curada já estou na gaiola novamente há quase 15 dias e contando.....kkkk


CMC: Na época da entrevista Dela, Ela disse que ainda não fizeram um contrato para estabelecer as regras? E agora chegaram a fazer algum? Pretendem fazer isso no futuro?

Sub Jr: Sim, conversamos a respeito disso e já naquela época decidimos que seria muito importante termos um contrato FEMDOM assinado. E sim já temos um contrato assinado agora, em plena vigência e com prazo de validade eterno....kkkk




CMC: Sua Dona, a Rainha RS, declarou em sua entrevista que começou a perceber que você gostava de certas práticas na cama e que achou estranho. Disse que como ainda não conhecia nada sobre BDSM, dominação feminina, castidade, etc. não tinha uma clara noção do que se passava, até que você revelou para Ela tudo isso e Ela resolveu tentar.
Pois bem, vocês começaram e Ela percebeu que você mantinha conversas em salas de bate papo com outras mulheres e se masturbava compulsivamente. Ela se sentia usada, segundo palavras Dela.
Daí veio uma revelação bombástica: "Após alguns anos, iniciamos a castração hormonal". Conta melhor para nós como isso era feito, e como vocês chegaram à conclusão de que tomar remédios para se castrar era uma saída?

Sub Jr: Bom, primeiro quero esclarecer que quando você diz que "Ela percebeu que eu mantinha conversas em salas de bate-papo com outras mulheres".....eram chats de BDSM....eu conversava sobre o assunto pois sentia necessidade disso e na época não podia conversar com Ela, e eu não conversava apenas com mulheres e nem Dominadoras.....como parece ali...kkkk....eu falava com todos...mulheres e homens....Dominadores, Dominadoras, submissos e submissas......mas enfim...sim eu como já disse anteriormente era um masturbador compulsivo e a magoava muito sem perceber, e me feria também pois me sentia muito mal depois do ato, digamos assim.

Em certa altura, eu realmente não me lembro bem como, Ela também começou a ter contatos virtuais com outras Rainhas, outras Dominadoras, e conversavam bastante, o que para mim foi muito bom, pois Ela realmente aprendeu bastante com essa troca de experiências, porém como nem tudo são flores...kkk....Ela descobriu através dessas então amigas Dominadoras a castração química. 



Já havíamos tentado o uso de um dispositivo de castidade, porém muito no começo de nossa experiência com esses dispositivos, e por isso não havia dado muito certo, por falta de conhecimento e aquisição de dispositivos de má qualidade, etc. Foi quando então sob a orientação dessas outras Dominadoras, Ela decidiu que usaria a castração química em mim como uma saída para o problema da masturbação compulsiva. Não me lembro perfeitamente, mas se não me engano havia uma tabela de meses e medicamentos a seguir, Ela ordenava que eu comprasse os medicamentos e ministrava a aplicação deles em mim. Naquele momento isso parecia uma saída para o nosso problema, mas depois de se informar melhor Ela decidiu que os riscos poderiam ser maiores que os benefícios e decidiu parar com a hormonização.


CMC: Ela disse que quando você pisa na bola, Ela te disciplina com tapas no rosto, chineladas na bunda, chicotadas e te mantêm afastado Dela por um tempo. Quando Ela te castiga, você sente tesão nisso, ou acaba tendo um efeito 100% corretivo?

Sub Jr: Eu costumo dizer que na vida assim como no FEMDOM não devemos dizer nunca farei tal coisa, o tempo passa, as experiências se acumulam, a confiança no parceiro cresce, e com o Amor envolvido você aprende cada dia mais, faz parte da Dominação tentar superar os limites do escravo, se me dissessem no inicio que eu iria ser fistado e sentiria muito prazer com essa prática eu diria que a pessoa estaria louca...kkkk....no entanto aqui estou eu nos dias de hoje, achando a prática super prazerosa e vendo que minha Dona que também tinha um certo receio no início, sentindo o mesmo tesão em me fistar.

"fistar": praticar o fisting, que é inserção erótica da(s) mão(s) da dominadora no ânus do submisso.

Dito isso, eu sempre me rotulei como um escravo não masoquista, o que para a maioria dos submissos pode parecer bem estranho, mas o que eu dizia é que não sou masoquista físico, mas muito masoquista psicológico, então não me aprofundava nos castigos físicos (spanking por exemplo) como nos psicológicos (humilhação por exemplo). Eu assistia a sessões de spanking homéricas, onde o escravo era açoitado até sangrar muito e achava aquilo um absurdo, dizia para mim mesmo "como pode sentir prazer nisso e como aguenta?".
Hoje já mais experiente (mas novo ainda...kkkkk) sei que existem estágios no BDSM....alguns são light outros hard e outros ficam no meio termo, mas mesmo os que hoje são ou se consideram Light podem vir a se tornar hard.



No meu caso hoje sim.....eu sinto tesão nas punições físicas, é indisfarçável já que minha ereção ou tentativa dela no cinto não me deixam mentir, e com a paciência e habilidade da minha Dona já progredi um pouquinho na escala de suportar a dor física; hoje Ela me faz contar os tapas no rosto ou as chineladas na bunda em voz alta, para realmente marcar o efeito corretivo. ou seja, para mim a punição funciona das duas formas, e do jeito que percebo que Ela fica excitada após me corrigir, acho que para Ela também.


CMC: Mas fora a humilhação pública, existe alguma punição psicológica que ela costuma aplicar em você?

Sub Jr: A humilhação verbal é uma ferramenta muito eficiente, só o fato de Ela me chamar de escravo pessoalmente ou por mensagens já faz parte da humilhação psicológica, Ela ainda me faz dormir nos pés da cama também como punição, sem contar ter que usar calcinhas todos os dias, é uma humilhação psicológica constante, pois os dois sabem que isso está acontecendo.

CMC: Falando nos planos de sua Rainha em relação ao cuckolding com Bi forçado: Você realmente se acha preparado para se sujeitar ao contato sexual com outro homem? Você se considera heteroflexível o suficiente para suportar essa condição?

Sub Jr: Se me perguntasse isso há algum tempo atrás eu te garantiria que nunca faria algo assim, porém após a castidade permanente eu sinto que sou capaz de fazer qualquer coisa para ver minha Dona ter prazer, já que como disse antes, aprendi a sentir muito prazer vendo-A ter prazer; e como sei que Ela tem esse desejo e terá muito prazer com isso, aceito obedecê-La e segui-La nessa prática. Então sim, sei que estou preparado para isso quando Ela quiser e ordenar.

CMC: Você mencionou que vive um regime de castidade permanente. O que sua Rainha Soberana faz quando sente falta de ser penetrada, já que ainda não se decidiram pela prática do Cuckolding?

Sub Jr: Segundo minha Dona, Ela não sente tanta falta da penetração propriamente dita e se satisfaz muito bem de outras formas, mas em algumas raras ocasiões Ela me solta e ordena que a penetre, porém sem nunca me permitir gozar.


foto real:


CMC: Ainda sobre seu regime de castidade permanente: você tem alívio por meio de orgasmos arruinados ou ordenhas anais?

Sim, isso é necessário para a saúde da próstata e ocorre de tempos em tempos, a Dona é expert em ordenhas anais através de fisting e usa toda a sua habilidade para me aliviar quando julga necessário.

CMC: Quando eu te perguntei sobre a castração química, você me disse que a buscaram após terem tido frustrações com uma tentativa inicial de usar cintos de castidade. Como que vocês conseguiram superar isso agora, e passaram a usufruir desses cintos sem aqueles problemas que existiam lá atrás? Como vocês solucionaram o que dificultava antes?

Sub Jr: O que ocorreu foi que no início da tentativa da Dona em me manter em castidade, não tínhamos experiência com os dispositivos de castidade, e se você apenas digitar no Google cinto de castidade masculino, o primeiro dispositivo que aparece é o CB, seja lá qual seja o número dele...kkkkk.....3000, 6000, 6000s, curve.....etc. E até que ele é muito agradável visualmente...kkkk...só visualmente. O que nenhum site ou vendedor fala (claro) é que esses dispositivos não são projetados para um longo período de utilização, na verdade eles servem apenas para usos em sessões e curtos períodos de uso. Então ao tentarmos usar um cb6000 para castidade permanente é claro que não funcionou, é péssimo para esse fim, não há como manter a higiene o que torna o odor insuportável após alguns dias, além disso, ele é feito de duas partes que durante uma ereção vigorosa (digamos assim)...kkkk se separam levemente, o suficiente para que a pele do pênis entre nas frestas e quando a ereção se retrai....ai ai ai...dor insuportável e ferimentos que inviabilizam totalmente o uso por longos períodos. 

Depois de a Dona decidir que a castração química não era uma opção para nós, tivemos que nos aprofundar mais no assunto da castidade e partimos em busca de outras opções de dispositivos, principalmente fora do Brasil; até que decidimos optar por fazer uma tentativa com o JailHouse, um dispositivo de aço com muitas aberturas que tornam de cara a higiene muito mais fácil e eficaz, apesar das aberturas não há possibilidade de burlar o dispositivo; porém aqui no Brasil não se encontra os anéis em todos os tamanhos, ao menos eu não encontrei, e no meu caso os anéis de 50 e 45 mm não serviram, eu precisei do anel de 40 mm e só consegui importando mesmo. Mas no meu caso a adaptação foi perfeita e eu estou usando ele desde então.

CMC: Você poderia compartilhar conosco uma imagem digitalizada do contrato que vocês tem assinado?

Sub Jr: Sim claro será enviado. Eu acredito que um contrato de escravidão seja muito importante para a relação D/s, para deixar bem claro todos os parâmetros e termos da relação.
* Imagens do contrato após a entrevista.

CMC: Literatura na Web que você recomenda sobre tudo que a gente conversou (pode ser internacional):

Blog CMC claro....kkkkk.....Senhor Verdugo, Desejo Secreto, Estilo BDSM.....entre outros; hoje em dia com tanta facilidade em conseguir informação, só não se aprofunda no tema quem realmente não tem interesse, basta digitar FEMDOM no Google ou BDSM e ir em busca do conhecimento do seu fetiche ou estilo de vida.

CMC: Um recado para as Leitoras e para os leitores do CMC.
  
O recado que dou a todos os leitores, é para que vão em busca de seus desejos, aprofunde-se em conhecimento sobre o assunto, aprenda as diferenças entre desejos, fetiches e estilo de vida. Com as facilidades que temos hoje em conseguir informações, não existe desculpa para que fiquemos apenas achando que conhecemos sobre determinado assunto, vá atrás de sua felicidade. E se você deseja que seu parceiro faça parte disso, aprenda com meus erros iniciais, se abra e conte a respeito dos seus desejos, fetiches ou se deseja viver um estilo de vida FEMDOM; você só vai saber se ele/ela vai aceitar ou gostar também se falar abertamente. Envie links com material sobre o assunto, compre brinquedos de sexshop, enfim....tente, quem sabe vocês não dão a mesma sorte que eu!!
Eu digo a vocês que amo viver esse estilo de vida FEMDOM, eu realmente sou completo servindo minha Dona, sendo seu escravo; encontrem o momento certo para se abrir com seu parceiro(a) e viva intensamente esse estilo de vida maravilhoso!!!
Um abraço a todos e boa sorte!!

Imagens do Contrato entre Rainha RS e sub jr:


(Se clicar sobre a imagem, é melhor para enxergar as letras)








3 comentários:

  1. Meu escravo, meu amor, espero usar você por toda a minha vida. Te amo. Rainha Soberana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem vinda ao Blog Rainha Soberana! Obrigado por permitir seu submisso para dar essa entrevista!

      Excluir
  2. A honra de servi-LA enternamente será sempre minha, minha DONA e SENHORA.

    ResponderExcluir

Fala Galera! Fiquem à vontade para comentarem, escrevam o que acharam da postagem! Os comentários anônimos estão liberados.