Pesquisar neste blog

Carregando...

18 de agosto de 2016

Ponto G - Um Mito?



Essa tradução do livro "Primeiro as Damas" está me rendendo um aprendizado incrível! Mais uma do pH.D, autor da obra científica-erótica, afirmando categoricamente ao longo do livro isso mesmo que você leu no título do post: "O Ponto G é um Mito". Em outras palavras, ele acusa os autores de "The G Spot": Alice Kahn Ladas, Beverly Whipple e o Dr John Perry de promoverem uma campanha publicitária que buscou em 1982 promover o chamado "orgasmo vaginal" como sendo o orgasmo mais maduro da mulher, e o "orgasmo clitoriano" como sendo um orgasmo imaturo, superficial e de festim. Segundo Ian, essa campanha buscou reforçar que a penetração é a principal fonte de prazer da mulher, algo estabelecido por Freud e alardeado pela ala dos adeptos da "penetração indispensável". 

Ian explica que, na verdade, o ponto G nada mais é que uma espécie de esponja de tecido que circunda a uretra, justamente para protegê-la da fricção da penetração. Essa esponja é sensível e provoca prazer quando massageada justamente por fazer parte do sistema clitoriano! Como podemos ver na imagem extraída do livro, o clitóris na verdade é uma rede de órgãos sensíveis que permeia toda a vulva, possuindo cabeça, corpo, pernas, essa base esponjosa, e se estende estruturalmente pelo períneo e se liga até o ânus. 

Então, quando ouvir falar do tal "Ponto G", saiba que na verdade se trata da "parte de trás" do clitóris, que pode ser alcançada pela parte frontal da parede vaginal uns 2 a 3 cm adentro. 

Não, o ponto G não é um mito. A meia-verdade nessa história, segundo o Dr Ian, é querer afirmar que orgasmo clitorial é uma coisa, orgasmo vaginal é outra. Conclui-se que quando se trata de orgasmo feminino, estamos falando estritamente do instrumento de prazer mais poderoso da natureza: o clitóris!

Só nos resta uma coisa: reverenciar essa delícia como uma verdadeira deusa! Principalmente com nossas bocas (não só com palavras, claro)!






15 de agosto de 2016

Whatsapp da Castidade


Nosso estimado leitor Edu, publicou nos comentários da aba "Cintos de Castidade" o número de telefone dele para a criação de um grupo no whatsapp.

Conforme ele mesmo publicou, quem quiser, pode add:




Muito obrigado pela grande iniciativa Edu! Tudo para a máxima divulgação do nosso blog!

Primeiro Casal Participante

E para minha grata surpresa, abro meu e-mail essa manhã e vejo a primeira foto de um casal participando da Promoção Vamos Mostrar Sua Gaiolinha na Net

Com vocês: Aline e Diego de Cotia-SP



Como ainda não terminei de traduzir todo o manual de sexo oral, "Primeiro as Damas", enviei a versão em inglês mesmo, junto com o que já está traduzido "Se Você Fosse Meu Servo". Assim que eu tiver traduzido todo o livro, me comprometi a enviar a versão traduzida ao casal.

Se quiserem saber melhor sobre as regras da promoção, cliquem AQUI.

E pra completar, Diego me manda o relato de como a castidade masculina começou na vida com Aline. Saca só:


Transcrevendo:

Que bom que gostou.
Eu tenho 45 anos e ela 41, casados sem filhos. Nem consigo imaginar quantos casais praticam isso no Brasil, mas segue minha experiência.
Isso tudo é muito novo pra gente, na verdade hoje é o terceiro dia que estou "enjaulado" (ela usa essa palavra ao invés de engaiolado...rs).
Cheguei ao seu site sem querer e comecei a ler e achei muito interessante e me identifiquei com várias coisas, principalmente com o fato de como eu perdia energia com masturbações e puladas de cerca (por isso, na foto, ela escreveu que me colocou o sinto por eu não deixar a piroca dentro da calça...kkk).
Depois de ler o site, mandei o link pra ela, sugerindo que lesse. Eu já esperava dela comentários negativos, piadas ou mesmo que me chamasse de louco. Para minha surpresa ela curtiu e me trancou. Está sendo muito excitante e vamos ver onde tudo isso vai dar.
Ela está sendo um tanto sádica..rs. Não tira a jaula nem pra eu tomar banho; me mandou eu me virar pra lavar e disse que eu teria que mudar minas roupas de academia (eram justas) para não aparecer. O banho após o treino também complicou, pois, tenho que me despir sem que vejam o dispositivo. Já no trabalho, minhas calças sã justas e apertam bem a gaiola e não está aparecendo nada.
Ontem a noite a chupei muito e ela gozou muito. Pensei que ela fosse me soltar para fodermos, mas ela mandou eu ir dormir, trancado, pois ela já tinha gozado gostoso. Filha da puta! É agonizante e ao mesmo tempo prazeroso...muito difícil de explicar a sensação.

PS: Estou usando um cinto de metal, aço inox, aberturas para ventilação (comprei no mercado livre). Ela trabalha na área da saúde e achou os modelos de acrílico e silicone pouco ventilados, mas falou que deveremos comprar um, pois, não me deixará viajar sem o cinto, (o de metal seria pego no aeroporto) portanto, usaria o de acrílico ou silicone, com lacre.

fique a vontade para publicar a foto e o depoimento se achar interessante. É simples, mas verídico.

abraço

Fica aqui meu mais sincero agradecimento ao casal por inaugurar a sessão de fotos da nossa promoção!

5 de agosto de 2016

Castidade Masculina Permanente: Um caso real

Isso mesmo! Não existem só mulheres que mantêm seus maridos presinhos e com seus orgasmos controlados. Existem as mais raras, que os mantêm presos e SEM orgasmos. Não acredita? Confere só:




28 de julho de 2016

Rainha Charlotte e a Castidade Masculina

           Como é precioso para nós, seguidores desse estilo de vida, contemplarmos uma mulher desse altíssimo nível: nada menos que Rainha Charlotte, escrevendo em seu blog sobre a necessidade inquestionável de sermos nós os homens, mantidos em castidade. E os indecisos, convencidos?

          Ela ainda oferece em seu blog, desde 14 de julho desse ano, um serviço de keyholder para os submissos desesperados por domínio, que não tenham uma keyholder para mantê-los em castidade. Veja aqui

               Aqui fica meu agradecimento e total admiração a essa Dominadora Brasileira, que tanto nos orgulha pelo seu profissionalismo, sedução e beleza insuperáveis, e por seu evidente alto nível cultural e intelectual. De fato, uma Deusa Encarnada em nosso país, que nos enche de orgulho (e claro, muito tesão).






26 de julho de 2016

17 de julho de 2016

Siga-nos por email!

Fala galera!! Depois de tantos pedidos, agora dá pra receber por email o aviso de quando sai postagem no blog. É só preencher com seu email no campo ao lado, confirmar com o link que você vai receber, e pronto! Cuidado porque essa confirmação pode para na sua caixa de spam. Para os que acessam o blog pelo smartphone, basta em "Visualizar versão para web", bem no fim da página.

16 de julho de 2016

"Seria essa Escritora uma Keyholder?"

Pessoal, traduzir esse manual de cunilíngua (Primeiro as Damas) está sendo o maior barato. 

Já estou no capítulo 6, e o autor Dr. Ian Kerner, gosta de fazer bastante citações, para dar o tom científico em seu livro, que na verdade, também é 100% erótico. Em diversas passagens ele cita uma escritora chamada Sallie Tisdale, que lançou a vinte anos um livro chamado "Fala Besteiras pra Mim - Uma Filosofia Íntima sobre o Sexo"

Vocês vão perceber que em nenhum momento do livro, o escritor sequer menciona o fetiche da castidade masculina. Mas tem cada coisa que o cara escreve e cita, que me faz perguntar se ele não andou espiando o CMC antes de editar, sem contudo me citar em sua bibliografia, kkkkkk

Saca só a citação que ele fez de um texto da Sallie sobre a preferência dela por sexo oral, ao invés da penetração:

"O pênis é muito mal posicionado, anatomicamente falando, quando se trata de fazer as mulheres gozarem. Melhor seria se os homens simplesmente deixassem seus pênis sozinhos, parassem de dar importância a essas fibras nervosas imaturas, e se concentrassem, em vez disso, em aprender a dar orgasmos através de suas línguas."

Diante dessa declaração tão sensata, não pude deixar de cogitar a grande possibilidade de essa mulher, com o conhecimento e o desprendimento que tem sobre assuntos sexuais, nesse sentido, de ter ao menos uma vez na vida tido contato com o nosso melhor tema, a castidade masculina. 

E aí, o que acharam da frase dela? Depois de dar uma declaração dessas, merece ou não merece ganhar uma chave de cinto de castidade como pingente?

      >>>>>>           




13 de julho de 2016

E a tradução do melhor manual de sexo oral do mundo?

E aí, galera blz?

Confesso que estou muito frustrado (no sentido ruim mesmo da palavra) porque até agora nenhum casal me mandou uma foto para ganhar os dois prêmios prometidos na promoção Vamos Mostrar Sua Gaiolinha na Net.

Eu entendo perfeitamente que não é fácil tomar coragem, e mais difícil ainda convencer a esposa, noiva ou namorada a expor uma foto, ainda que apareça só a mão dela. 

A Carta de uma Mistress a um vizinho mais novo, chamada "Se Você Fosse Meu Servo" já está completamente traduzida. São, ao todo, 22 páginas de puro domínio feminino. Se você se colocar no lugar do inocente rapaz de vinte e poucos anos, verá que seria impossível não largar tudo e se entregar à Mistress Esthrer como escravo sexual dela. Linda, rica e extremamente erótica e dominadora. Uma tentação irresistível. A foto da capa está logo aí abaixo e à direita, na barra lateral do blog.
Mas eu já postei releases sobre essa tradução aqui e aqui.


Hoje, eu queria compartilhar com todos os casais, um jargão bem conhecido, na verdade, um clichê, mas que não encontra nenhuma frase melhor para descrever o que estou sentindo e vivendo com minha mulher, depois de estudar o livro "Primeiro as Damas" (Sim, mudou de nome. Era "Ela Vem Primeiro"), o manual do Ph.D. em sexologia clínica Ian Kerner:

"Vocês não sabem o que estão perdendo!!!" 

Depois que eu usei só um pouquinho do que aprendi lendo em inglês mesmo (escondido), minha mulher percebeu: "Nossa, amor, você chupou diferente hoje. Foi tão gostoso". Sério cara, é difícil ouvir uma frase melhor que essa, considerando que estou preso em um cinto de castidade. É como uma grande realização profissional, é o meu objetivo de vida: dar prazer à minha mulher! A mulher que me amou ao ponto de me dar um presente de preço incalculável: a confiança de guardar a chave que me permite ter o meu prazer.


Pessoal, pra mim promessa é dívida. Eu coloquei dia 31 de outubro como limite, porque o livro é muito grande, mas eu estou bem avançado nas páginas. Como eu já disse antes, não tem problema se forem mandando antes, porque eu já posto aqui e já envio o que está pronto, que é "Se Você Fosse o Meu Servo", enviando sem erro o "Primeiro as Damas" assim que estiver pronto, mesmo que seja antes do 31 de outubro.


De fato, garanto que não existe um livro melhor neste mundo que ensine ao homem (ou a uma mulher) como dar prazer sexual à sua parceira de forma oral. Esqueça a penetração! No geral, só dá mais prazer ao homem. Prazer de verdade para a mulher é com língua, lábios e dedos, tudo isso junto. Não acreditam? O cara é Ph.D!! Dêem só uma lida em alguns flashs do que eu já traduzi:


A premissa deste livro é simples: quando o assunto for “Como Dar Prazer Sexual Às Mulheres”, em toda e qualquer conversa a respeito, a Cunilíngua¹ deve ser a linguagem utilizada pelos interlocutores. Lou Paget, escritor de um best seller sobre sexo, escreveu: "Pergunte à maioria das mulheres: se elas estiverem sendo honestas, vão admitir que as ocasiões em que ficaram mais excitadas, e em que tiveram os orgasmos mais explosivos, foram as quais seus parceiros usaram suas línguas para estimulá-las




        [...]

Quando se trata de prazer, não há maneira certa ou errada para ter um orgasmo – o único erro é assumir que as mulheres precisam menos ou não o valorizam o orgasmo tanto quanto os homens.



        [...]

Em seu ensaio "Serviço Labial: como ser um lingüista astuto", a autora e colunista de sexo Anka Radakovich exalta com louvor um namorado que se especializou em sexo oral: "Eu me tornei uma viciada em língua, e até me ofereci para lavar a roupa dele, se ele viesse e me desse mais daquele prazer. Depois de dois meses, eu coloquei uma foto emoldurada da língua dele sobre a minha mesa."

        [...]

A solução não é simplesmente "mais preliminares", como algumas revistas muitas vezes nos repreendem. Mas sim uma mudança no ponto de vista acerca dessas atividades (que nós associamos como as preliminares), em que a estimulação chamada oral, seja encarada como de fato “fazer amor”, ou “fazer sexo”- Ou seja, passar a encarar a cunilíngua como o ‘durante’ e não mais como o ‘antes’.




        [...]

Este livro não é contra a penetração, mas enfatiza mais o “sexo pelo lado de fora” - a concepção de que sexo vai além da penetração, abraça prazer mútuo, e é mais adequado para estimular a anatomia sexual feminina para o orgasmo.

        [...]

“Primeiro as Damas” oferece aos homens e mulheres um "pássaro na mão" infalível para obter o bom sexo, em detrimento da aposta exclusiva na penetração. É hora de fechar essa lacuna do sexo, e criar condições equitativas na troca de prazer. A cunilíngua é muito mais do que apenas um meio para atingir esse fim nobre; é a pedra angular de um novo paradigma sexual, que exalta exuberantemente uma experiência compartilhada de prazer, intimidade, respeito e contentamento. É também um dos maiores presentes de amor que um homem pode conceder a uma mulher.

        [...]

- Você sabia que o clitóris tem OITO partes, cada uma delas participante no processo de produção de prazer para a mulher? Você sabe quais são?
       - Você sabia que a vasta maioria das terminações nervosas que contribuem para o orgasmo feminino estão concentradas na superfície da vulva, e não requerem penetração para serem estimuladas a promover o orgasmo dela?
       - Quantos tipos de orgasmo uma mulher pode experimentar?
       - Você pode dizer com absoluta certeza que sabe localizar exatamente onde está o ponto G? Você sabe o nome de outras zonas de prazer escondidas?
       - Você sabe por que a cunilíngua é a melhor forma de estimular a mulher de forma a proporcionar a ela orgasmos múltiplos?
       - Você sabe por que o homem é parcialmente responsável pelo aroma genital de sua parceira?
       - Você está totalmente certo se sua parceira nunca fingiu um orgasmo, e consegue identificar sem margem de erro a diferença entre um orgasmo real e uma sinfonia de gritos?

       [...]

Quando se trata de dar prazer a mulheres, tenha em mente as palavras antigas do mestre taoísta Wu Hsien, “o homem deve manter a situação sob controle e se beneficiar da comunhão sem pressa.”

       [...]

As mulheres relataram que, durante a penetração, chegaram ao orgasmo somente cerca de 25% das vezes. Mas elas atingiram o orgasmo 81% das vezes durante o sexo oral.


          [...]

Quando inquiridas por Shere Hite sobre as técnicas orais de seus parceiros, a grande maioria das mulheres se queixaram de que eles foram muito afoitos, muito impacientes, muito rápidos, muito lentos, não sabiam exatamente o ponto onde chupar, ou eles mudavam o ritmo na hora errada. Uma mulher ainda exclamou: "Parece que ele está tentando apagar o meu clitóris, como se fosse um erro de escrita."


Putz!


[...]


Hoje, estou convencido de que uma das principais causas da ejaculação precoce é o hábito da masturbação – em que os meninos são ensinados, ou melhor, não ensinados, a se masturbarem rapidamente, escondidos, em silêncio, e envoltos em tabus e segredos.

(Tá explicado por que a castidade é tão importante em todo esse processo de reeducação sexual do homem, né?)

[...]

A Cunilíngua não só me permitiu dar prazer a uma mulher de forma completa, ela me permitiu parar de me preocupar sobre sexo e começar a desfrutar dele. Ao fazer isso, eu era capaz de deixar cair a ansiedade, desenvolver um maior autocontrole, e me tornar um amante melhor. A cunilíngua certamente salvou a minha vida sexual, e quando penso em toda a depressão e angústia que sofri como resultado de minhas batalhas contra a ejaculação precoce, não é exagero dizer que saber como chupar uma mulher salvou minha vida inteira.




E aí, meu brother, o que achou? E tudo isso eu tirei só da introdução. Será que depois de mostrar isso para a sua mulher, ela não vai ficar estimulada em participar? Olha só o índice do livro, o que o autor passa de conhecimento:

Índice

INTRODUÇÂO: Confissões de um ejaculador precoce.
                            Como ler este livro
                            Posso ir direto para a Parte 2?
                            Um aperitivo antes do prato principal
                            Atenção, homens!
                            Por que eu escrevi esse livro? 

Parte 1: Os elementos de Estilo Sexual

1.    Ela vem (goza) primeiro: o que conta é ser cortês
2.   O clitóris dela: a maquininha do prazer feminino
3.   Pense fora da caixa (dela)
4.  Orgasmo feminino: simplicidade
5.   “A Língua é Mais Poderosa que a Espada”
6.   A Deusa Interior da mulher
7.    Evite Freud
8.  Para quê um nome?
9.   Isso você vê: Anatomia sexual feminina-1
10.  Isso você NÃO vê: Anatomia sexual feminina-2
11.  Quebre o paradigma do tal “Ponto G”
12.  Ejaculação feminina (?)
13.  O quão molhada realmente é estar molhada?
14.  Aristóteles e as poesias do tesão
15.  Uma sinopse das reações eróticas femininas
16.  Aroma e sensibilidade
17.   Temos um longo caminho a trilhar...
18.  ... mas vai com calma...
19.   ...e chupa direito!
20.  O manifesto Cunilíngua


Parte 2: Manual Prático

21.   Uma observação para o processo prático
22.   Preliminares: um dicionário
23.   Introduzindo o “durante”
24.  A forma segue a função: tomando a posição
25.  Os 10 pontos da região clitoriana
26.  Grande Abertura: o ‘primeiro beijo’
27.   Estabelecendo ritmo
28.  Aumentando o tesão, parte 1
29.   “O tempo voa”
30.   Aumentando o tesão, parte 2
31.    Elevando a ação, parte 1
32.  A companhia de dois
33.  Um interlúdio
34.  Elevando a ação, parte 2
35.  Se antecipando ao problema
36.  Pré–orgasmo, parte 1
37.   Pré-orgasmo, parte 2
38.  A “portinha de trás”
39.  Pré-orgasmo, parte 3
40. Uma nota para os que empacam e não terminam
41.  O orgasmo feminino: aumente o vocabulário
42.  As suplementares: ela goza de novo (e de novo!)
43.  Transição sem pausa
44.  Obtendo a simultaneidade
45.  Não se esqueça do epílogo

Parte 3: Tudo Junto e Misturado

46. A essência do estilo
47. Rotinas: um resumo
48. Rotinas: do iniciante ao avançado

Conclusão


Apêndices
1.  Estimulação Manual durante o ‘durante’
2. Algumas indicações sobre o uso de bondage
3.  Variações da posição tradicional
4.  O beijo com proteção, parte 1
5.  O beijo com proteção, parte 2
6.  O beijo escarlate
7.  O beijo na virgem, a primeira vez dela
8. O beijo na grávida
9.  Brinquedinhos úteis
10. A rotina padrão


Bibliografia

Agradecimentos

Sobre o autor

Créditos


Cara, é muito conhecimento. Eu garanto, o negócio é profissa! 

Participem! 

12 de julho de 2016

Será que o Squal deve investir nisso?

Pois é pessoal! Uma ideia louca veio na cabeça e resolvi pôr no papel (ou melhor, na tela rsrsrs) antes que ela escapasse da minha memória. Então, fiz a ilustração da capa e uma introdução. Eu mesmo achei a introdução meio maçante, mas é fundamental para entender a narrativa que eu pretendo fazer, no estilo CMC que todo mundo conhece (Saga de Beto e TCC de Laura).

Minha intenção é terminar o TCC de Laura e começar a publicar os capítulos dessa ficção científica de cunho FEMDOM. Claro, recheada com castidade masculina, tease and denial, inversão, podolatria, humilhação, etc. porém dentro de todo um contexto social.

A história se passa em um exoplaneta relativamente próximo da Terra, que foi colonizado por uma tripulação de mais de 100 astronautas homens e mulheres. E, por algum motivo, a primeira mulher nascida em solo Cibeliano (não, eu não fumei um baseado, o nome do planeta é Cibelis F) resolve fazer uma revolução a fim de estabelecer a Supremacia Feminina. E isso ela consegue graças ao conhecimento adquirido a respeito de um pequeno ponto fraco dos homens. Conseguem imaginar qual seria esse ponto fraco?

Queria que vocês me dissessem nos comentários, se acham que vale a pena eu investir meu precioso tempo elaborando essa história, em um futuro próximo (depois que eu terminar de redigir o TCC de Laura e de traduzir o manual científico de cunilíngua). Desculpem possíveis erros de pontuação, ortografia e digitação. Fiz tudo hoje na correria. Na edição completa, vou fazer uma revisão textual com calma. 


Por favor critiquem à vontade, e digam se gostariam de ler uma história nessa modalidade. É só clicar na imagem abaixo para ter acesso ao capítulo introdutório desse projeto: